PUBLICIDADE
Esportes

Tricampeão da Fórmula 1, Niki Lauda critica fim das ?grid girls?

A mudança mais recente imposta pela Liberty Media, que decretou o fim das ?grid girls? na Fórmula 1, ganhou grande repercussão dos dirigentes e membros históricos do automobilismo, que conviveram com esse formato por muitos anos. O mais novo crítico do novo formato é o tricampeão da categoria, Niki Lauda, que tratou a nova mudança [?]

08:45 | 03/02/2018

A mudança mais recente imposta pela Liberty Media, que decretou o fim das ?grid girls? na Fórmula 1, ganhou grande repercussão dos dirigentes e membros históricos do automobilismo, que conviveram com esse formato por muitos anos. O mais novo crítico do novo formato é o tricampeão da categoria, Niki Lauda, que tratou a nova mudança como controversa e ?estúpida?.

?Essa decisão não favorece em nada as mulheres. Pelo contrário, pois se trata de uma decisão contra elas?, disse Lauda ao jornal austríaco Der Standard. ?Homens tomaram a decisão sem pedir a opinião das mulheres. Isso não vai fazer um favor à Fórmula 1 e nem mesmo para as mulheres. O quão estúpido isso pode ser??, indagou.

Na última quarta-feira, a Liberty Media, nova detentora dos direitos da F1, decretou que não vai mais ocorrer o desfile das mulheres, conhecidas como ?grid girls?, antes das provas da categoria por não representar os valores e a imagem que a empresa quer passar para os fãs.

?Espero que realmente haja uma forma de reverter essa decisão. Eu não ligaria de ver ?grid boys? ao lado das meninas. Por que não pensar nisso se esse realmente é o problema??, ressaltou o tricampeão mundial e dirigente da Mercedes.

O tema sobre o papel que as mulheres desempenham, principalmente no esporte, é um problema que o ex-piloto afirmou ser digno de discutir, mas defendeu que um fato não exclui o outro. ?As mulheres estão crescendo em cargos de destaque e estão fazendo muito bem isso, caminhando na direção correta para ocuparem seu lugar. Porém, a exclusão das ?grid girls? não anula a outra coisa. Eu não quero atrapalhar as mulheres, mas encorajá-las?, finalizou Lauda.

 

Gazeta Esportiva

TAGS