PUBLICIDADE
Esportes

Times da Superliga mostram-se descontentes com presença de Tiffany

Segundo o blog do jornalista Bruno Voloch, as equipes que competem na Superliga feminina de vôlei passaram a pressionar a Confederação Brasileira da modalidade contra a presença de Tiffany, atleta transgênero do Bauru, no torneio. Com exceção do clube do Sesi, os times da disputa nacional manifestaram sua insatisfação com a permissão para entrar em [?]

17:30 | 05/02/2018

Segundo o blog do jornalista Bruno Voloch, as equipes que competem na Superliga feminina de vôlei passaram a pressionar a Confederação Brasileira da modalidade contra a presença de Tiffany, atleta transgênero do Bauru, no torneio.

Com exceção do clube do Sesi, os times da disputa nacional manifestaram sua insatisfação com a permissão para entrar em quadra concedida à jogadora. O descontentamento foi vocalizado devido à proximidade da disputa dos playoffs da competição.

De acordo com o jornalista, a CBV já tem conhecimento do movimento contra Tiffany, que não visa alterações para esta temporada, e sim a próxima, cobrando um posicionamento da confederação. A questão não deverá ser manifestada publicamente por conta dos patrocinadores das equipes da Superliga.

As questões envolvendo a jogadora do Bauru têm levantado polêmica dentro do esporte nacional. Apesar da ratificação da FIVB para a participação de transgêneros em competições de vôlei, algumas ex-atletas e até jogadoras atuais têm discordado da presença de Tiffany nas quadras.

Pela Superliga feminina, a equipe do Bauru ocupa somente a sétima colocação, com 25 pontos conquistados e uma campanha de seis vitórias e doze derrotas. Na próxima rodada, o clube do interior paulista encara o Sesc/Rio de Janeiro, vice-líder, às 19h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira.

Gazeta Esportiva

TAGS