PUBLICIDADE
Esportes

Epidemia afasta mais de mil funcionários três dias antes das Olimpíadas

As Olimpíadas de Inverno de PyeongChang sofreram um golpe contra os funcionários de segurança que trabalhariam no evento. Faltando apenas três dias para o início, mais de 1200 agentes foram afastados por conta de uma epidemia, que, até o momento, levou 41 a serem diagnosticados com o norovírus, sofrendo de diarréia e náuseas. Todos os que [?]

16:15 | 06/02/2018

As Olimpíadas de Inverno de PyeongChang sofreram um golpe contra os funcionários de segurança que trabalhariam no evento. Faltando apenas três dias para o início, mais de 1200 agentes foram afastados por conta de uma epidemia, que, até o momento, levou 41 a serem diagnosticados com o norovírus, sofrendo de diarréia e náuseas. Todos os que tiveram contato com os contaminados estão em quarentena, sendo observados, enquanto aguardam os resultados dos exames.

Para substituir os agentes afastados, 900 militares foram enviados para trabalhar nas Olimpíadas. Para os turistas, atletas e moradores da cidade, o COI já distribui folhetos com instruções para se proteger do vírus. Em entrevista coletiva, o presidente do Comitê de PyeongChang 2018, Lee Hee-beom falou sobre a epidemia.

?Como presidente do comitê organizador, gostaria de me desculpar pela situação. O Centro de Controle de Doenças da Coréia está realizando testes nos funcionários das acomodações. Estamos correndo para finalizá-los logo e impedir que este vírus tenha algum impacto nos atletas ou na Família Olímpica. Esses 1.200 agentes não voltarão aos seus postos de trabalho e estão sob testes clínicos. A informação é de que demora entre 12 e 48 horas até o vírus afetar uma pessoa, então aqueles que foram expostos à doença foram isolados em suas acomodações. Enquanto isso, estamos tentando descobrir a causa e o número exato de paciente?, declarou o presidente.

Gazeta Esportiva

TAGS