PUBLICIDADE
Esportes

Rossi revela ainda sentir dores na perna: ?Não estou 100%?

A lesão sofrida na perna em 2017 ainda incomoda Valentino Rossi. O italiano lesionou a tíbia e a fíbula da perna direita em uma queda de motocross no dia 31 de agosto, o que o fez perder a corrida da MotoGP em Misano. Ele participou do restante da campanha normalmente, mas revelou que ainda não está 100%. [?]

17:00 | 25/01/2018

A lesão sofrida na perna em 2017 ainda incomoda Valentino Rossi. O italiano lesionou a tíbia e a fíbula da perna direita em uma queda de motocross no dia 31 de agosto, o que o fez perder a corrida da MotoGP em Misano. Ele participou do restante da campanha normalmente, mas revelou que ainda não está 100%.

?A perna está muito boa. Consegui fazer snowboard, um pouco de esqui, mas não estou 100%. Ainda sinto dor e preciso modificar um pouco meu treinamento porque ainda não consigo correr?, disse o piloto durante o evento de lançamento da Yamaha em 2018, em Madri. ?Normalmente, é preciso seis meses para recuperar o fortalecimento da tíbia, então acho que terei um mês e meio para voltar a correr novamente. Mas, de resto, está OK. Para a moto está OK?, acrescentou.

As fraturas de Rossi foram corrigidas com pinos de metal em sua primeira cirurgia, sendo que ele não pretende removê-los até o encerramento da próxima temporada. ?O problema é que é preciso manter o pino por um ano, no mínimo. Acho que correrei assim neste ano e farei a cirurgia após o fim da temporada. Mas não é um problema, porque não sinto nada. Você sabe que está lá, mas não faz diferença?, explicou.

Rossi, que completa 39 anos em fevereiro, disse que sua condição física permaneceu a mesma ao longo dos últimos anos, apesar da idade já avançada. ?Eu gostaria de dizer que todo ano é mais difícil, porque não sou muito jovem. Mas, na verdade, nos últimos seis/sete anos eu me sinto de forma muito parecida. É diferente se comparar com quando eu tinha 20 ou 25, porque era mais fácil de se recuperar. Agora é uma recuperação mais longa, mas, na verdade, me sinto muito parecido em termos de condição física?, pontuou.

?É preciso trabalhar duro, mas acho que, no nosso esporte, isso não é a coisa mais importante. Você precisa estar em forma, com certeza, mas também deve ter algo a mais?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS