PUBLICIDADE
Esportes

Diretor da F1 admite necessidade de repensar papel de grid girls

Com o conglomerado de mídia Liberty Media assumindo o controle da Fórmula 1, a categoria vem passando por diversas mudanças, sejam elas estéticas, como o novo logotipo apresentado em 2017, ou técnicas envolvendo os carros de 2018. No entanto, o diretor de marketing da F1, Murray Barnett, admitiu que outra área da categoria precisar ser [?]

15:45 | 12/01/2018

Com o conglomerado de mídia Liberty Media assumindo o controle da Fórmula 1, a categoria vem passando por diversas mudanças, sejam elas estéticas, como o novo logotipo apresentado em 2017, ou técnicas envolvendo os carros de 2018. No entanto, o diretor de marketing da F1, Murray Barnett, admitiu que outra área da categoria precisar ser repensada: a função das grid girls.

â??Nós estamos 100% comprometidos em olhar para as grid girls e torná-las uma parte mais relevante da competição do que só segurar uma placa e ficar próximas de um carro. Nós ainda não decidimos como isso vai ser, mas reconhecemos que precisamos nos tornar mais progressistas nesta áreaâ?, afirmou em entrevista à publicação Marketing Week.

Barnett reconheceu ainda que as mudanças da F1 não vão atingir apenas o trabalho das grid girls.â??Nós estamos olhando para outras coisas, como compensação de carbono, mas é também um dos segredos melhores guardados que a F1 é incrivelmente estéril. Nós temos uma recuperação de energia de 50pc, motores híbridos de 1.6 litro, freios com 1000 cv â?? as pessoas me dizem que isso é surpreendenteâ?, ressaltou.

Por fim, o diretor falou sobre a nova mentalidade introduzida pela Liberty Media e, em especial, seu cargo â?? função recente na categoria. â??Não quero falar muito sobre a época do (Bernie) Ecclestone, mas a nossa visão agora é tentar abordar os patrocinadores com uma atitude â??sim, por que não?â?? ao invés de â??não, não entendo a perguntaâ??. Vai levar um longo tempo para as marcas mudarem a percepção do que é a F1 e de fato nos levarem em consideração. Eu sei disso. Mas nós precisamos ter paciência e reconhecermos que, se seguirmos oferecendo experiências convincentes para as marcas, aí outras começarão a nos notar cedo ou tardeâ?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS