PUBLICIDADE
Esportes

Conheça a Costa Rica, que eliminou gigantes na última Copa do Mundo

A Costa Rica será o segundo adversário do Brasil na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O sorteio dos grupos da Copa determinou que as seleções se enfrentam no dia 22 de junho, às 9h (de Brasília), e o time verde e amarelo é favorito para a vitória. No entanto, na última Copa do [?]

21:15 | 01/12/2017

A Costa Rica será o segundo adversário do Brasil na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O sorteio dos grupos da Copa determinou que as seleções se enfrentam no dia 22 de junho, às 9h (de Brasília), e o time verde e amarelo é favorito para a vitória.

No entanto, na última Copa do Mundo, a Costa Rica se classificou em primeiro lugar do grupo D, que tinha Uruguai, Itália e Inglaterra, e foi eliminada somente nas quartas de final pela Holanda, nos pênaltis, terminando a competição invicta.

A surpreendente campanha colocou a Costa Rica e seus jogadores no mapa do futebol internacional. O goleiro Keylor Navas foi contratado pelo Real Madrid, o lateral Cristian Gamboa foi para o West Bromwich, da Inglaterra, e o zagueiro Giancarlo Gonzalez se transferiu para o Palermo, da Itália, um mês depois da Copa.

Contra Sérvia, Brasil e Suíça, a Costa Rica tentará sua terceira classificação na história para uma fase final de Copa do Mundo, em cinco participações.

Histórico em copas

Mesmo tendo tradição nos campeonatos da Concacaf, sendo campeã em 1963, 1969 e 1989, a Costa Rica disputou sua primeira Copa do Mundo somente em 1990, na Itália. Na ocasião, os costarriquenhos se classificaram para a fase final em segundo lugar do grupo C, à frente de Suécia e Escócia e atrás do Brasil, antes de serem eliminados pela Tchecoslováquia nas oitavas de final.

A Costa Rica ficaria fora das próximas duas edições do campeonato, voltando ao torneio em 2002, na Coreia do Sul e Japão. Desta vez, a seleção tricolor foi eliminada na primeira fase, atrás de Brasil e Turquia e à frente da China no grupo C.

A participação seguinte da Costa Rica em copas foi desastrosa. Em 2006, na Alemanha, foi a pior seleção do grupo A, que tinha Alemanha, Equador e Polônia. Foram três derrotas em três jogos, incluindo a abertura daquela Copa do Mundo em Munique, contra a anfitriã Alemanha, perdendo por 4 a 2 para os alemães.

Já em 2014, depois de não se classificar para a Copa de 2010, a Costa Rica fez sua melhor campanha em copas, eliminando três campeãs mundiais logo na primeira fase. As seleções de Uruguai, Itália e Inglaterra, que juntas somam 7 títulos de Copa do Mundo, ficaram atrás da seleção costarriquenha no grupo D, considerado o ?grupo da morte? daquela edição. Além disso, a Costa Rica passou pela Grécia, em decisão por pênaltis, nas oitavas de final e foi eliminada pela Holanda, também nas penalidades, na fase quartas de final.

Goleiro e craque

O grande nome do futebol costarriquenho é o goleiro do Real Madrid Keylor Navas. O arqueiro foi a grande revelação da Costa Rica em 2014 e disputará sua segunda Copa do Mundo em 2018, ano em que completará 11 anos defendendo a seleção.

Navas foi revelado em 2005 pelo Deportivo Saprissa, onde jogou até 2010, quando foi contratado pelo Albacete, da segunda divisão da Espanha. Em 2011, o goleiro foi emprestado ao Levante, da primeira divisão espanhola, que o comprou no ano seguinte. Navas defendeu o Levante até 2014, quando as boas exibições na Copa do Mundo lhe renderam uma transferência para o Real Madrid, onde foi reserva de Iker Casillas até a saída do ídolo merengue para o Porto, de Portugal. Desde então, Navas é o titular da equipe, onde conquistou três Ligas dos Campeões (2014, 2016 e 2017), dois Mundiais (2014 e 2016) e um Campeonato Espanhol (2016).

Costa Rica e Brasil são velhos conhecidos

Em 2018, Brasil e Costa Rica se enfrentarão em Copa do Mundo pela terceira vez, todas na fase de grupos. O retrospecto do confronto, no entanto, é amplamente favorável ao Brasil, que saiu vitorioso em ambos os confrontos.

O primeiro encontro entre as duas seleções foi na Copa do Mundo de 1990, na Itália. Pela segunda rodada do grupo C, que também tinha Escócia e Suécia, o Brasil de Taffarel e Dunga venceu a Costa Rica por 1 a 0, com gol de Müller no primeiro tempo.

O segundo confronto não teve o equilíbrio do primeiro. Na última rodada do grupo C da Copa de 2002, que tinha Turquia e China, o Brasil de Ronaldo e Rivaldo venceu por 5 a 2, com gols de Ronaldo (2), Edimílson, Rivaldo e Júnior. A seleção brasileira seria campeã daquela edição da Copa do Mundo, na Coreia e no Japão, vencendo a Alemanha por 2 a 0 na final.

Gazeta Esportiva

TAGS