PUBLICIDADE
Esportes

Com pênalti não marcado, Porto empata com Benfica e se complica

Precisando da vitória no clássico para seguir como líder isolado do Campeonato Português, o Porto recebeu o Benfica nesta sexta-feira, no Estádio do Dragão, pela 13ª rodada da disputa por pontos corridos. Após um primeiro tempo morno, o jogo ficou mais emocionante na etapa complementar, entretanto, o placar permaneceu inalterado, e as equipes tiveram de [?]

19:30 | 01/12/2017

Precisando da vitória no clássico para seguir como líder isolado do Campeonato Português, o Porto recebeu o Benfica nesta sexta-feira, no Estádio do Dragão, pela 13ª rodada da disputa por pontos corridos. Após um primeiro tempo morno, o jogo ficou mais emocionante na etapa complementar, entretanto, o placar permaneceu inalterado, e as equipes tiveram de se contentar com o empate em 0 a 0, fato que frustrou o grande público que compareceu na casa azul e branca.

O clássico português também foi marcado por um lance polêmico no final do primeiro tempo. O zagueiro Luisão acabou colocando a mão na bola dentro da área, porém, o árbitro da partida não marcou infração, o que revoltou o  líder do campeonato nacional, agora empatado com 33 pontos com o Sporting, que venceu o Belenenses também nesta sexta-feira, um pouco mais cedo.

O Benfica foi quem chegou com perigo pela primeira vez na partida. Aos 4 minutos de partida Eduardo Salvio estava ligado para aproveitar o rebote dentro da área e cabecear da marca do pênalti, forçando o goleiro José Sá a fazer uma grande defesa e salvar o Porto. Já aos 23 minutos foi a vez de Marcano responder para os donos da casa, cabeceando no segundo pau e vendo Varela agarrar o arremate.

Após os primeiros minutos, o clássico ficou morno. Com ambas as equipes adotando uma postura defensiva e sendo bastante cautelosas na hora de sair para o jogo, os mais de 49 mil torcedores que compareceram no Estádio do Dragão tiveram de se contentar com uma partida mais truncada e com poucas chances de gol.

Se não dava para infiltrar na defesa adversária, o Porto passou a arriscar de longe. Aos 34 minutos Alex Telles, ex-Grêmio, experimentou de fora da área, porém, Varela estava ligado para novamente frear o ímpeto dos donos da casa. Antes de irem para o intervalo, os azuis e brancos ainda criaram a expectativa de, enfim, abrir o placar através de uma cobrança de pênalti após o zagueiro Luisão tocar com a mão na bola dentro da área, no entanto, o árbitro mandou o jogo seguir.

No segundo tempo o Porto voltou mais disposto a conquistar o triunfo. Logo aos cinco minutos de partida Brahimi chutou firme para o gol, e Varela novamente estava bem posicionado para bloquear a finalização. Já aos dez foi a vez de Grimaldo assustar a torcida anfitriã, arrematando perto do gol de José Sá. O Benfica, por sua vez, esteve próximo abrir o marcador aos 35 minutos com Krovinovic, que em jogada individual dentro da área bateu forte, mas a bola acabou morrendo nas redes pelo lado de fora.

Restando pouco menos de dez minutos para o apito final Zivkovic acabou prejudicando o Benfica no clássico. Logo após receber um cartão amarelo, o meia sérvio fez nova falta na tentativa de matar o contra-ataque e acabou expulso. Com isso, os Encarnados tiveram de se segurar nos instantes finais para evitar a derrota e o distanciamento do principal rival na ponta da tabela.

A ânsia pelo gol era tamanha que o zagueiro Felipe se tornou centroavante na reta final do clássico. Buscando a vitória a qualquer custo, o Porto martelou os rivais através das bolas aéreas, finalizações de longa distância, triangulações e qualquer outra forma que o fizesse somar os três pontos, no entanto, nada foi suficiente para alterar o placar.

 

Gazeta Esportiva

TAGS