PUBLICIDADE
Esportes

Vettel finaliza testes de pneus em Abu Dhabi como mais rápido

Depois de mais uma temporada sem título de pilotos e nem mesmo de construtores, a Ferrari começa a dar as primeiras mostras de que 2018 pode ser diferente. No último dia de testes dos novos compostos para o próximo ano e dos pneus hipermacios produzidos pela Pirelli, em Abu Dhabi, Sebastian Vettel atingiu o tempo [?]

15:30 | 29/11/2017

Depois de mais uma temporada sem título de pilotos e nem mesmo de construtores, a Ferrari começa a dar as primeiras mostras de que 2018 pode ser diferente. No último dia de testes dos novos compostos para o próximo ano e dos pneus hipermacios produzidos pela Pirelli, em Abu Dhabi, Sebastian Vettel atingiu o tempo de 1:37.551 e fechou a sessão como o piloto mais veloz.

Leia mais: Priorizando futebol, banco anuncia fim da parceria com Ferrari

O dia foi de recuperação para a Ferrari. Vettel teve problemas logo nas primeiras voltas e foi obrigado a abandonar o carro no meio da pista, mas contou com uma rápida engenharia da equipe para voltar ao circuito e cravar o melhor tempo. O piloto alemão foi seguido por Valterri Bottas e Max Vesrtappen, da Mercedes e Red Bull, respectivamente, em testes que não contaram com a presença de Lewis Hamilton.

Apesar da liderança incontestável de Vettel, a grande novidade dos testes foi as alternâncias de pilotos e a indecisão para a escolha do titular de 2018 na Williams. Sergey Sirotkin conduziu durante a maior parte do dia com pneus macios e alcançou o 10° melhor tempo, de 1:39.947. Na frente pela vaga, Kubica já entrou na parte final e girou acima do companheiro, cravando o sétimo tempo mais rápido (1:39.485).

Depois dos três primeiros, a Force India conseguiu o quarto e quinto melhor tempo com Sergio Perez e Esteban Ocon. Os dois foram seguidos por Calos Sainz e o principal candidato a substituir Felipe Massa na Williams, Kubica.

Os testes em Abu Dhabi mostraram uma pequena superioridade da Ferrari para 2018. Ainda é algo que pode significar muito pouco para o ano que vem, mas a liderança de Raikkonen no primeiro dia e o tempo mais rápido de Vettel nesta quarta-feira dão indícios de que a escuderia italiana pode voltar a reinar na Fórmula 1, já que não vence nenhum título desde 2007.

Gazeta Esportiva

TAGS