PUBLICIDADE
Esportes

Em busca do bi, Medina treina duro ?em casa? para a final em Pipeline

Atual vice-líder do ranking, Gabriel Medina vem embalado para a grande decisão do Circuito Mundial de surfe. Empolgado com a arrancada nos últimos meses, o paulista optou por ficar em solo brasileiro e está se preparando forte para a grande final, em Pipeline, no Havaí. O atleta se divide entre treinos físicos, coordenados por Allan Menache, e [?]

17:15 | 14/11/2017

Atual vice-líder do ranking, Gabriel Medina vem embalado para a grande decisão do Circuito Mundial de surfe. Empolgado com a arrancada nos últimos meses, o paulista optou por ficar em solo brasileiro e está se preparando forte para a grande final, em Pipeline, no Havaí. O atleta se divide entre treinos físicos, coordenados por Allan Menache, e o surf, com orientação do pai e técnico, Charles Saldanha Rodrigues.

Nesta segunda-feira, ele aproveitou as ondas grandes e potentes de dois a três metros, e surfou na vizinha praia de Paúba, Litoral Norte de São Paulo. O pico é um dos preferidos de Medina e conhecido pelos tubos grandes e largos e e ondas potentes.

O público pode presenciar um verdadeiro show de surf do campeão mundial: ?Foi animal! Peguei altas ondas. Sem dúvida foi um ótimo treino?, comemorou Medina, que se disse ?vivaço? e confiante com a conquista do bicampeonato. 

Neste ano, o paulista começou o Circuito na terceira colocação, mesmo após sofrer uma lesão de grau 2 no joelho direito. Chegou a ficar na 11ª posição em dado momento da temporada. A recuperação começou com o terceiro lugar na África do Sul, depois um segundo lugar no Taiti. Chegou à perna europeia em oitavo e com as duas vitórias, em Portugal e na França, assumiu a vice-liderança ranking.

A decisão do título será na última de 11 etapas do Circuito Mundial, o Pipeline Masters, no North Shore de Oahu, no Havaí. A competição será realizada entre os dias 8 e 20 de dezembro. Atleta da casa, John John Florence lidera o ranking com 53.350 pontos. Medina vem logo atrás com 50.250 e o sul-africano Jordy Smith fecha os três melhores do mundo com 47.600 pontos.

Gazeta Esportiva

TAGS