PUBLICIDADE
Esportes

Com personalidade forte, Petros garante: ?Ninguém apoia mais que eu?

Petros chegou ao São Paulo com a temporada já em andamento, porém, não demorou para conquistar seu espaço na equipe titular e se tornar um dos líderes do elenco. Durante o período turbulento pelo qual o clube passou neste ano, o volante que veio do Betis, da Espanha, foi um dos jogadores que deram a [?]

07:45 | 15/11/2017

Petros chegou ao São Paulo com a temporada já em andamento, porém, não demorou para conquistar seu espaço na equipe titular e se tornar um dos líderes do elenco. Durante o período turbulento pelo qual o clube passou neste ano, o volante que veio do Betis, da Espanha, foi um dos jogadores que deram a cara a tapa quando as coisas não iam bem e acabou se transformando em um expoente entre os comandados do técnico Dorival Jr. Reconhecendo seu espírito de liderança, o camisa 6 garante ser bom de grupo.

?Eu tenho a personalidade muito forte, mas como amigo, como pessoa, como alguém ali dentro, você pode perguntar a qualquer um dos jogadores: ninguém apoia todo mundo mais que eu. Às vezes as pessoas me veem no jogo e fora do campo, parece que são duas pessoas totalmente diferentes. Mas a partir do momento que você entra para jogar, você defende muita coisa, não é tão simples. Você representa 20 milhões de torcedores, uma instituição muito grande, pais de família que abrem mão de suas vidas para ver o São Paulo?, afirmou Petros.

Apesar de chamar a responsabilidade como jogador do São Paulo, Petros prefere não ser o grande protagonista do elenco comandado pelo técnico Dorival Jr. Titular em todos os jogos desde que chegou ao Morumbi, o volante crê que agora, com a situação muito mais calma em comparação aos meses anteriores, é a hora das jovens promessas aparecerem mais.

?Muitas vezes as pessoas confundem a minha personalidade forte com um cara que é difícil. Então, sou assim, não tenho a necessidade de mostrar nada, deixo o protagonismo para os outros. Inclusive, não queria estar aqui hoje, fui obrigado pelo nosso chefe. O momento é de outras pessoas estarem aqui. Eles [jovens] não puderam dar a cara, quem dava a cara sofria muito. Acho que esse é o momento de alguns jogadores mais jovens falarem de suas vidas, do que eles pensam?, prosseguiu.

Junto da liderança de Petros veio acompanhado o otimismo. Desde que acertou seu retorno ao futebol brasileiro, o jogador pregou que seu novo clube sairia da delicada situação que se encontrava. Ele, inclusive, crê que as dificuldades vividas pelo elenco ao longo deste ano, no fim, acabaram fazendo bem à equipe. Por isso, torce pela manutenção da maioria dos atuais jogadores do São Paulo para o ano que vem.

?Sempre fui positivo, desde minha chegada aqui. Acho que existem duas maneiras de se encarar tudo. Se o grupo demonstrasse fraqueza, o São Paulo estaria rebaixado há três meses, e esse talvez tenha sido o grande ?x? da questão. Por outro lado, se há algo que eu posso confirmar a vocês, é que toda essa situação, esse sofrimento, fortaleceu a gente como grupo de uma maneira que ninguém talvez possa imaginar. Por isso a importância de manter essa base para o ano que vem. Doeu muito escutar o que a gente escutou, passar 14 rodadas na zona de rebaixamento. Estamos muito fortalecidos como grupo, e por isso a importância de manter uma base para o ano que vem?, concluiu Petros.

Gazeta Esportiva

TAGS