PUBLICIDADE
Esportes

Sem apoio, ginastas viajam com verba de apresentações na Paulista

Milhares de pessoas adquiriram o hábito de frequentar a avenida Paulista aos domingos, quando a via está fechada para os carros. Entre músicos, vendedores ambulantes, cachorros, bicicletas e seguidores da Cultura Racional, atletas classificadas aos Jogos Pan-Americanos de ginástica acrobática se apresentam em busca de dinheiro para participar da competição nos Estados Unidos. Sem qualquer [?]

09:30 | 09/10/2017

Milhares de pessoas adquiriram o hábito de frequentar a avenida Paulista aos domingos, quando a via está fechada para os carros. Entre músicos, vendedores ambulantes, cachorros, bicicletas e seguidores da Cultura Racional, atletas classificadas aos Jogos Pan-Americanos de ginástica acrobática se apresentam em busca de dinheiro para participar da competição nos Estados Unidos.

Sem qualquer tipo de patrocínio nem apoio da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), as atletas realizaram uma série de exibições nas imediações do Masp (Museu de Arte de São Paulo) aos domingos desde o último mês de julho. Por meio de uma faixa com a inscrição S.O.S (save our souls, salvem nossas almas, em inglês), o grupo pediu contribuições para disputar o Pan-Americano.

?É o amor pelo esporte. A gente precisa do dinheiro para viajar, mas, como ninguém apoia, essa foi a maneira que arrumamos para conseguir participar da competição?, explicou Priscila Rodrigues Florentino, de 24 anos. ?O pessoal tem apoiado bastante e alguns até se revoltam pela situação. Uma contribuição de R$ 2,00 parece pouco, mas, quando junta tudo, faz diferença?, explicou, sob sol intenso.

A empreitada custará aproximadamente R$ 36 mil para seis atletas e um treinador, valor integralmente bancado pelo próprio grupo, do uniforme nas cores do Brasil até as taxas de competição. Em contato com a Gazeta Esportiva, por meio de sua assessoria de imprensa, a CBG informou que, com a verba que dispõe no momento, precisa priorizar as modalidades olímpicas.

?A ginástica tem sete modalidades, com um calendário muito extenso. Gostaríamos de poder atender a todas da mesma forma, mas infelizmente não temos verba suficiente. Algumas ações precisam ser priorizadas. Com a verba que temos no momento, teremos que priorizar as modalidades que disputarão os Mundiais?, diz o comunicado enviado pela entidade.

Além das apresentações na movimentada avenida Paulista, o grupo de ginastas, em busca de recursos para o evento nos Estados Unidos, também realizou exibições em faróis, aos sábados. As ginastas contaram com apoio de seus familiares e ainda promoveram bingos e rifas ? um dos itens sorteados foi um uniforme utilizado por Adenízia, da Seleção Brasileira de vôlei, nos Jogos Olímpicos.

Nesta segunda-feira, após um árduo trabalho para arrecadar recursos, as ginastas enfim viajarão para os Estados Unidos com a finalidade de participar dos Jogos Pan-Americanos de ginástica acrobática. O evento, com a sonhada presença das brasileiras, será realizado na cidade de Daytona Beach, no estado da Flórida, entre os dias 13 e 15 de outubro.

Atualmente, compõem o programa olímpico apenas a ginástica artística, rítmica e de trampolim. Para contar com maior respaldo da CBG, as atletas esperam que a acrobática seja incluída em breve nos Jogos. A edição de Tóquio 2020 do evento, por exemplo, prevê as estreias de surfe, skate, beisebol/softbol, escalada e caratê.

?Esperamos que a modalidade vire olímpica para ser devidamente reconhecida. No próximo ciclo, talvez. Nos Jogos do Rio de Janeiro, houve uma apresentação de ginástica acrobática. Na verdade, acho que tem tudo para virar olímpica. Torcemos muito por isso?, afirmou Juliana dos Reis de Freitas, de 19 anos, que contribuiu com o treinamento da equipe para o Pan-Americano.

Gazeta Esportiva

TAGS