PUBLICIDADE
Esportes

Presidente da Juventus é suspenso por repassar ingressos a mafiosos

Andrea Agnelli, presidente da Juventus, foi suspenso por um ano pela Federação Italiana de Futebol (FIGC) por conta de seu envolvimento em um caso de venda de ingressos para torcedores organizados do clube ligados à uma máfia italiana. A entidade que regula o futebol do país divulgou um comunicado oficial explicando a punição ao dirigente, [?]

14:15 | 25/09/2017

Andrea Agnelli, presidente da Juventus, foi suspenso por um ano pela Federação Italiana de Futebol (FIGC) por conta de seu envolvimento em um caso de venda de ingressos para torcedores organizados do clube ligados à uma máfia italiana. A entidade que regula o futebol do país divulgou um comunicado oficial explicando a punição ao dirigente, que também terá de pagar 20 mil euros de multa.

Assim como Agnelli, a Juventus também terá de abrir os cofres para a FIGC. O clube de Turim terá de desembolsar 300 mil euros por conta da venda de ingressos para membros infiltrados da máfia ?Ndrangheta, que repassavam esses bilhetes por preços mais caros.

Não satisfeito com as punições dadas ao clube, o procurador do tribunal esportivo pediu dois anos e meio de suspensão a Agnelli, com a possibilidade de se estender a nível internacional, uma vez que ele acabou de assumir a presidência da Associação Europeia de Clubes. Já para a Juventus o jurista pediu dois jogos sem público e o pagamento de uma multa.

A Juve, por sua vez, se posicionou nesta segunda-feira através de um comunicado oficial. O clube garantiu que irá recorrer contra a decisão da FIGC por entender que não possui qualquer culpa no caso. Enquanto, legalmente, poderia ser cedido apenas quatro ingressos por pessoa, torcedores organizados recebiam lotes de ingressos inteiros para revenda.

Confira o comunicado oficial divulgado pela Juventus nesta segunda-feira:

Seguindo o veredito de hoje do tribunal da FIGC, a Juventus Futebol Clube anuncia que irá apelar à Corte de Apelação da FIGC, acreditando que o clube está correto, fato que até agora não foi devidamente reconhecido.

Apesar das punições para o presidente e outros envolvidos, o clube está satisfeito com as imposições de hoje, ?depois de uma análise cuidadosa de todas as evidências obtidas, a possibilidade de ligação criminosa está completamente fora de cogitação?.

Juventus Football Club acredita no sistema da justiça esportiva e gostaria de uma vez mais expressar que o clube sempre cooperou com as autoridades e os interesses de segurança e ordem pública.

Gazeta Esportiva

TAGS