PUBLICIDADE
Esportes

Diniz cita falhas do Tricolor e vê Jesus insubstituível no Verdão

Embora o São Paulo tenha ficado apenas no empate em 1 a 1 com o Corinthians, neste domingo, diante de mais de 60 mil torcedores no Morumbi, o técnico Fernando Diniz elogiou o desempenho do time tricolor no clássico. Ciente da dificuldade de enfrentar o Corinthians, o treinador vice-campeão paulista de 2016 ressaltou os feitos [?]

08:30 | 25/09/2017

Embora o São Paulo tenha ficado apenas no empate em 1 a 1 com o Corinthians, neste domingo, diante de mais de 60 mil torcedores no Morumbi, o técnico Fernando Diniz elogiou o desempenho do time tricolor no clássico. Ciente da dificuldade de enfrentar o Corinthians, o treinador vice-campeão paulista de 2016 ressaltou os feitos da equipe de Dorival Jr diante de um rival muito bem postado dentro de campo.

?O time do Corinthians é muito difícil de ser batido, eles defendem com nove pessoas, a linha de quatro não sai. É um time que joga muito protegido. Mas o São Paulo teve três ou quatro finalizações. É difícil finalizar contra o Corinthians?, disse Fernando Diniz, convidado do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, deste domingo.

O treinador também traçou um paralelo com o clássico entre Santos e Corinthians, em que o Peixe saiu vitorioso ao superar o rival por 2 a 0 na Vila Belmiro. Na visão de Fernando Diniz, o São Paulo não conseguiu repetir a mesma estratégia do time de Levir Culpi, que abriu o placar e acabou matando o jogo em um contra-ataque, aproveitando a necessidade do líder do Campeonato Brasileiro de sair para, ao menos, evitar a derrota.

?Geralmente o Corinthians fica mais vulnerável quando toma o primeiro gol. O São Paulo se posicionou para jogar no contra-ataque depois que abriu o placar, mas não soube usar esse contra-ataque, diferentemente do Santos, que conseguiu vencer o Corinthians assim?, completou.

Palmeiras

Fernando Diniz também deu sua opinião sobre os altos e baixos vividos pelo Palmeiras nesta temporada. Para o treinador, as oscilações alviverdes se devem à ausência de Gabriel Jesus na equipe. Depois de se despedir do Verdão com o título brasileiro, o atacante titular da Seleção Brasileira deu lugar a Borja no setor ofensivo, entretanto, o colombiano ainda não conseguiu vingar no Palestra Itália.

?A perda principal foi a do Gabriel Jesus. É um jogador que faz muita diferença, não tem como fazer essa reposição no Brasil, mesmo com todo o investimento do Palmeiras. Se ele estivesse aqui, a história do Palmeiras na Libertadores teria sido outra. Essa perda é irreparável. Agora, o time do Palmeiras está crescendo, está ganhando mais consistência e conquistando os resultados?, afirmou.

Gazeta Esportiva

TAGS