PUBLICIDADE
Esportes

Desfalques, um bronze e nove finais: veja o balanço brasileiro em Londres

A deleção brasileira desembarcou de Londres com uma de suas melhores participações coletivas na história do Mundial de atletismo. Apesar de desfalques importantes ? Thiago Braz e Nubia Soares -, o Brasil retorna com presença em nove provas finais: na de 20km marcha atlética masculina, Caio Bonfim conquistou a medalha de bronze, a única na [?]

10:25 | 14/08/2017

A deleção brasileira desembarcou de Londres com uma de suas melhores participações coletivas na história do Mundial de atletismo. Apesar de desfalques importantes ? Thiago Braz e Nubia Soares -, o Brasil retorna com presença em nove provas finais: na de 20km marcha atlética masculina, Caio Bonfim conquistou a medalha de bronze, a única na competição.

?No final, tivemos atletas com boas marcas e colocações em várias provas?, disse Toninho Fernandes, presidente da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), nesta segunda-feira, no site oficial da confederação. Em seguida, ele lembrou de duas baixas: ?Poderíamos ter ainda melhores resultados, mas perdemos dois nomes importantes, por lesão?, afirmou Toninho, referindo-se a Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara, e Nubia Soares, quarta no Ranking Mundial do salto triplo.

Com o desempenho, a Seleção Brasileira ficou entre as 20 melhores do campeonato ? foi o 19º colocado com 21 pontos (contabilizando os atletas entre os oito primeiros de suas provas). Além disso, o país teve finalistas que terminaram do nono ao 12º lugar. Quatro foram semifinalistas e Talles Silva e Fernando Ferreira, no salto em altura, marcaram 2,29m, um centímetro a menos do recorde pessoal e dois da vaga à final.

Warlindo Carneiro da Silva Filho, vice-presidente da CBAt, também se mostrou feliz com a performance brasileira, principalmente em comparação com o torneio anterior, em Pequim, além de salientar a importância do ciclo olímpico, que visa a Olimpíada de Tóquio, em 2020.

?Tivemos quebra de recordes, vários finalistas, medalha em uma prova nobre do atletismo. Melhoramos em relação ao Mundial anterior, de Pequim 2015, quando tivemos uma medalha e dois finalistas. Importante lembrar que estamos trabalhando em um planejamento olímpico, que engloba o ciclo até Tóquio 2020?, ressaltou.

Por fim, o responsável pela delegação em Londres, o chefe Mauro Chekin, disse que o grupo todo ?foi disciplinado e colaborativo?, e que ?foi fácil de conduzir a equipe? neste período.

Gazeta Esportiva

TAGS