PUBLICIDADE
Esportes

Campeã olímpica, Rafaela Silva cai na estreia do Mundial de judô

Uma das mais fortes competidoras da Seleção Brasileira, a campeã olímpica Rafaela Silva não teve o mesmo sucesso de outrora no Campeonato Mundial de judô, que acontece em Budapeste. Na manhã desta quarta-feira, a atleta caiu para a portuguesa Telma Monteiro, medalhista de bronze no Rio 2016, logo na primeira fase da categoria 57kg. No [?]

09:45 | 30/08/2017

Uma das mais fortes competidoras da Seleção Brasileira, a campeã olímpica Rafaela Silva não teve o mesmo sucesso de outrora no Campeonato Mundial de judô, que acontece em Budapeste. Na manhã desta quarta-feira, a atleta caiu para a portuguesa Telma Monteiro, medalhista de bronze no Rio 2016, logo na primeira fase da categoria 57kg. No próximo domingo, porém, ela tem chance de subir ao pódio na disputa por equipes mistas. O mesmo serve para Marcelo Contini, que também foi derrotado na estreia.

Em seu sétimo mundial na carreira, Rafaela Silva teve de enfrentar a experiente Telma Monteiro, de 31 anos, logo de início. Aquecida por já ter lutado e vencido antes de duelar com a brasileira, a lusitana começou mais ofensiva. Entre golpes mal executados e não encaixados, a portuguesa encontrou um contragolpe, já mais para o final do combate, e aplicou um waza-ari. Rafaela ainda tentou uma chave de braço, mas viu sua adversária escapar e conquistar a vitória.

O terceiro dia de competições não foi mesmo feliz para o Brasil. Marcelo Contini, o outro brasileiro a entrar no tatame nesta quarta, só que na categoria 73kg masculino, também perdeu na primeira luta e não avançou ao bloco final de disputas. Ele encarou o georgiano Lasha Shavdatuashvili e acabou se despedindo após levar três punições, que resulta em desclassificação automática do combate. A luta seguia equilibrada, com cada um recebendo dois shidos (infrações). Faltando 47 segundos, Contini recebeu a terceira punição por supostamente esconder a manga em uma tentativa de ataque do adversário.

Após a luta, Marcelo se mostrou bastante chateado com a decisão da arbitragem: ?Uma luta tão igual assim ser decidida pela arbitragem com punições é difícil. Eu me preparei o ano inteiro para esta competição. Mas, o trabalho não pode ser definido por uma competição. Quem conhece a minha trajetória sabe o quanto batalhei para estar aqui e representar meu país da melhor maneira possível. Peço desculpas a quem depositou confiança em mim, à minha família?, lamentou em nota oficial publicada pela CBJ (Confederação Brasileira de Judô).

Assim como Rafaela Silva, ainda não é o fim da linha para Marcelo Contini no Mundial de Budapeste, na Hungria. Também no próximo domingo, o atleta tem a disputa por equipes mistas, na Laszlo Papp Arena, e pode conquistar alguma medalha.

Nesta quinta-feira, três brasileiros entrarão em ação: o medalhista de bronze em Astana 2015, Victor Penalber (81kg); o estreante em mundiais, Eduardo Yudi (81kg); e a medalhista olímpica em Pequim 2008, Ketleyn Quadros (63kg).

Gazeta Esportiva

TAGS