PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Segundo estudo, jogo entre Liverpool e Atlético de Madrid causou 41 mortes por coronavírus

Partida realizada em março foi a última da Liga dos Campeões com presença de torcedores. Equipe espanhola venceu e avançou na competição

19:39 | 24/05/2020
Duelo entre Liverpool e Atlético de Madrid teve cerca de 53 mil torcedores (Foto: AFP)
Duelo entre Liverpool e Atlético de Madrid teve cerca de 53 mil torcedores (Foto: AFP)

O jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões entre Liverpool e Atlético de Madrid, disputada em março diante de 52.000 espectadores, apesar da ameaça do novo coronavírus, "pode estar relacionada à morte de 41 pessoas", segundo um estudo britânico publicado neste domingo.

Essas mortes teriam ocorrido em hospitais de Liverpool ou locais próximos de 25 a 35 dias depois, diz este estudo, que é baseado em dados das autoridades de saúde do Reino Unido e foi citado pelo semanário Sunday Times. Cerca de 3.000 torcedores do Atlético haviam viajado para Liverpool para assistir à partida, pouco antes da paralisação das competições esportivas na Inglaterra devido à pandemia de COVID-19.

Segundo o Imperial College de Londres e a Universidade de Oxford, a Espanha tinha naquele momento cerca de 640.000 casos de coronavírus e o Reino Unido aproximadamente 100.000. "Se há pessoas que contraíram o coronavírus em um evento esportivo que não deveria ter acontecido, é escandaloso", disse Steve Rotheram, prefeito da região metropolitana de Liverpool, à BBC.

"É necessário investigar para saber se algumas dessas infecções estão ligadas aos torcedores do Atlético. Havia áreas vermelhas onde o vírus estava presente e Madri era uma delas", acrescentou.

No mês passado, um dos governantes de Liverpool já havia solicitado uma investigação para determinar por que essa partida foi disputada. Por outro lado, a decisão de autorizar 250.000 pessoas a se reunir em março para participar da grande corrida de cavalos em Cheltenham (sudeste da Inglaterra) estaria relacionada a 37 mortes adicionais, segundo o estudo.

Os organizadores garantem que adotaram medidas especiais de higiene e seguiram as recomendações do governo britânico, que autorizou a celebração de importantes eventos esportivos.

O efeito dos eventos esportivos na disseminação do novo coronavírus lembra o caso de mais um duelo da fase eliminatória da Liga dos Campeões, entre o italiano Atalanta e o espanhol Valencia. Walter Ricciardi, representante da Itália na Organização Mundial da Saúde (OMS), estimou que essa partida havia sido um "acelerador da propagação do vírus".