PUBLICIDADE
Vasco

Werley aprova esquema com três zagueiros no Vasco

O Vasco ficou no empate com o Fluminense e se manteve na zona de classificação para as semifinais da Taça Rio. A grande novidade no clássico foi a mudança do esquema tático da equipe. O técnico Zé Ricardo escalou os cruzmaltinos com três zagueiros. Quem ganhou um lugar entre os titulares foi Werley, que aprovou […]

18:45 | 08/03/2018

O Vasco ficou no empate com o Fluminense e se manteve na zona de classificação para as semifinais da Taça Rio. A grande novidade no clássico foi a mudança do esquema tático da equipe. O técnico Zé Ricardo escalou os cruzmaltinos com três zagueiros. Quem ganhou um lugar entre os titulares foi Werley, que aprovou a nova formação.

“Eu gostei. Já tinha jogado algumas vezes. Em 2013, no Grêmio, o Renato usou esse esquema. Quem pensa que três zagueiros é uma formação defensiva, eu vejo por outro lado. Acabamos tendo mais jogadores no campo adversário, tendo uma bola parada forte. Com o trabalho no dia a dia, acredito que possa ser uma equipe competitiva”, disse.

Werley ressaltou que os cruzmaltinos se tornaram mais fortes na bola parada, principal problema da equipe neste início de temporada.

“Sabemos que bola parada hoje define jogos. Já definiu a favor e contra, também. Já trabalhamos muito a bola parada. Focam muito nos zagueiros, mas na bola parada você tem oito jogadores marcando. Todos têm de estar ligados. O Zé tem cobrado isso. Nesse jogo passamos a marcar individualmente na bola parada. O Zé mudou. Foi bom”, declarou.

Para a partida contra o Madureira, neste sábado, em Moça Bonita, o técnico Zé Ricardo deve optar por escalar os reservas visando a estreia na Fase de Grupos na Libertadores. No entanto, Werley afirmou que o treinador ainda não confirmou isso.

“Até agora não falou nada conosco. O importante é que está todo mundo preparado. Precisamos do Carioca para atingirmos nosso objetivo, para estarmos bem na Libertadores, entrosados”, falou.

Com sete pontos, o Vasco está na vice-liderança do grupo B da Taça Rio. Um tropeço contra o Madureira pode fazer os cruzmaltinos não dependerem de si na última rodada da fase de classificação, quando terão o clássico contra o Botafogo.

Gazeta Esportiva

Recomendadas para você

Comentários