PUBLICIDADE
Esportes

Justiça anula de novo votos da urna 7 e Eurico Miranda se complica

Eurico Miranda está em maus lençóis. Na noite dessa segunda-feira, a desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga anulou por mais uma vez a urna 7, chamada de ?urna da discórdia?, onde o atual mandatário do clube recebeu 90% dos 475 votos no dia do pleito. Sem a urna 7, o novo presidente do Vasco da Gama responderá [?]

21:45 | 18/12/2017

Eurico Miranda está em maus lençóis. Na noite dessa segunda-feira, a desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga anulou por mais uma vez a urna 7, chamada de ?urna da discórdia?, onde o atual mandatário do clube recebeu 90% dos 475 votos no dia do pleito. Sem a urna 7, o novo presidente do Vasco da Gama responderá por Júlio Brant.

Agora, não há possibilidade de um novo efeito suspensivo. Com isso, dificilmente a justiça encerrará o caso sem que a urna 7 seja excluída do processo. Ou seja, Eurico Miranda, que chegou a comemorar mais uma vitória nos bastidores, corre um sério risco de, definitivamente, ser afastado de sua função pelos próximos anos.

A decisão da desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga se ampara no fato da atual administração não ter apresentado registros específicos comprobatórios referentes aos questionados pagamentos de mensalidades. Dessa forma, a suspeita de inclusão de ?sócios fantasmas? ganha ênfase e, sem eles, Júlio Brant poderá ser o vitorioso.

Gazeta Esportiva

TAGS