Vaiado em jogo festivo, Sidão fala em melhorar e seguir no São PauloSão Paulo Futebol Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Vaiado em jogo festivo, Sidão fala em melhorar e seguir no São Paulo

Sidão não se livra das críticas nem em suas férias. Após terminar a temporada questionado por boa parte da torcida do São Paulo, o goleiro foi massivamente vaiado neste domingo ao ter o nome anunciado para entrar na quadra do Ginásio do Ibirapuera, onde participou de um jogo de futsal promovido por Ronaldinho Gaúcho e [?]

17:15 | 09/12/2018

Sidão não se livra das críticas nem em suas férias. Após terminar a temporada questionado por boa parte da torcida do São Paulo, o goleiro foi massivamente vaiado neste domingo ao ter o nome anunciado para entrar na quadra do Ginásio do Ibirapuera, onde participou de um jogo de futsal promovido por Ronaldinho Gaúcho e Denílson.

Integrando o time do ex-jogador de Barcelona, Milan e Seleção Brasileira, o camisa 12 do Tricolor disputou apenas o primeiro tempo. Ele enfrentou a equipe do meia Nenê, seu companheiro no São Paulo, de quem sofreu três gols ? o armador, aliás, não parou para falar com a imprensa.

Sem se importar com as vaias, Sidão fez boas defesas e, numa tentativa de descontrair com a torcida, ainda se arriscou a deixar o gol vazio com a bola no pé. No entanto, após driblar vários adversários, errou o alvo.

Antes do evento, em rápida conversa com os jornalistas, Sidão fez uma análise da temporada 2018, em que terminou como reserva de Jean e desprestigiado com a torcida, que pegou no seu pé em razão de algumas falhas cometidas ao longo do ano.

?Um ano de muito aprendizado, de evolução. Vamos ver, 2019 começa da estaca zero. Vamos ver o que a gente consegue melhorar?, projetou o goleiro, que falou sobre seu futuro no São Paulo.

?Tenho contrato até o final de 2019 e, por enquanto, não há novidade nenhuma. Vou cumprir o contrato. Vou me reapresentar com todo o grupo [em 3 de janeiro] e seguir a programação. O normal é seguir o contrato?, concluiu.

Além de Sidão, o time de Ronaldinho Gaúcho contou com Edu Gaspar, Léo Moura, Aloísio Chulapa e Zé Roberto. Nenê, Edmílson, Roger Flores e Lúcio integraram a equipe de Denílson.

Acompanhado por cerca de 9.500 torcedores, o evento terá a renda de bilheteria convertida para a Fundação Edmílson, ex-jogador de São Paulo, Barcelona e Palmeiras.

Gazeta Esportiva

TAGS