Reforço caro, Pablo tenta quebrar sina e virar ídolo do São PauloSão Paulo Futebol Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Reforço caro, Pablo tenta quebrar sina e virar ídolo do São Paulo

Comprado do Atlético-PR por 6 milhões de euros (R$ 26,5 milhões), Pablo é a contratação mais cara da história do São Paulo. Após causar euforia na torcida, já ansiosa por vê-lo entrar em campo com a camisa tricolor, o atacante tem agora um outro objetivo: o de conquistá-la. Tornar-se um ídolo após uma negociação milionária, [?]

14:30 | 21/12/2018

Comprado do Atlético-PR por 6 milhões de euros (R$ 26,5 milhões), Pablo é a contratação mais cara da história do São Paulo. Após causar euforia na torcida, já ansiosa por vê-lo entrar em campo com a camisa tricolor, o atacante tem agora um outro objetivo: o de conquistá-la.

Tornar-se um ídolo após uma negociação milionária, porém, não tem sido tarefa fácil para jogadores do São Paulo. Dentre os dez reforços mais valiosos ao longo dos 88 anos de vida do clube, poucos têm conquistado tal status.

Na verdade, entre os dez principais investimentos já feitos pelo Tricolor, só Luis Fabiano vingou. Em 2011, o São Paulo pagou R$ 19,9 milhões ao Sevilla-ESP para repatriar o atacante, que já havia alcançado a idolatria em sua primeira passagem pelo Morumbi, entre 2002 e 2004.

Em seu retorno, o Fabuloso sofreu com lesões, mas ainda assim marcou 92 gols entre 2011 e 2015 e participou da campanha do título da Copa Sul-Americana de 2012. Em 2019, o jogador de 38 anos deve atuar pela Ponte Preta, clube que o revelou.

Segundo reforço mais caro da história são-paulina, Paulo Henrique Ganso realizou boas atuações entre 2012 e 2016, mas não foi unanimidade na torcida, que o elogiava e o criticava por seu estilo de jogo cadenciado. O meia custou R$ 23,9 milhões aos cofres do São Paulo, que o tirou do rival Santos.

Empatado com Ganso em termos de valores, Lucas Pratto chegou em 2017 levando a expectativa de marcar gols e se tornar ídolo. O que não se cumpriu, muito em função do pouco tempo que o centroavante argentino ficou no Tricolor, do qual saiu para defender o River Plate neste ano.

Já Maicon, terceiro colocado no ranking, chegou a flertar com o status de ídolo no primeiro semestre de 2016. Chamado de God of Zaga pela torcida, ele foi adquirido junto ao Porto-POR por R$ 22,1 milhões. Na sequência, porém, o defensor não manteve o nível divino de atuações e acabou negociado ao Galatasaray-TUR em 2017.

Ricardinho, por sua vez, rumou para o Morumbi em 2002 pelo valor de R$ 20,1 milhões. O problema é que o ex-meia passou longe de repetir o desempenho dos tempos de Corinthians e não caiu no gosto da torcida. Em 2004, foi vendido ao Middlesbrough, da Inglaterra, antes de ir para o Santos.

Alan Kardec, Ricardo Centurión, Thiago Mendes, Jadson e Bruno Cortez, que completam o top 10 de reforços mais caros do São Paulo, também não conquistaram a idolatria da exigente torcida tricolor.

Com as cifras em segundo plano, Pablo chega com a incumbência de marcar gols e dinamizar o ataque do time dirigido por André Jardine. E nada melhor do que fazê-lo na Copa Libertadores para quebrar a sina e virar ídolo do clube que escolheu para jogar pelos próximos quatro anos.

?É uma sensação incrível pensar que vou poder ajudar o São Paulo na Libertadores e em outros campeonatos. O Morumbi é um estádio histórico no futebol brasileiro, que já viu o São Paulo ser campeão muitas e muitas vezes e é conhecido em qualquer lugar do mundo. Espero jogar bastante, fazer gols nesse estádio e, sendo minha nova casa, é isso que eu tenho que fazer?, afirmou Pablo.

Abaixo, veja o ranking de contratações mais caras do São Paulo: 

1: Pablo (R$ 26,5 milhões)

2: Paulo Henrique Ganso (R$ 23,9 milhões)

2: Lucas Pratto (R$ 23,9 milhões)

3: Maicon (R$ 22,1 milhões)

4: Ricardinho (R$ 20,1 milhões)

5: Luis Fabiano (R$ 19,9 milhões)

6: Alan Kardec (R$ 13,9 milhões)

7: Ricardo Centurión (R$ 12,7 milhões)

8: Thiago Mendes (R$ 10 milhões)

9: Jadson (R$ 8,6 milhões)

10: Bruno Cortez (R$ 7 milhões)

Gazeta Esportiva

TAGS