Aguirre isenta Sidão de culpa em gol contra e exalta entrega do São PauloSão Paulo Futebol Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Aguirre isenta Sidão de culpa em gol contra e exalta entrega do São Paulo

Além de criticar veementemente a arbitragem de Dewson Freitas da Silva, o técnico Diego Aguirre isentou Sidão de culpa pelo gol contra de Anderson Martins no empate por 1 a 1 com o Fluminense na tarde deste domingo, no Morumbi. No lance em questão, ao tentar recuar a bola de cabeça após lançamento de Junior [?]

19:45 | 02/09/2018

Além de criticar veementemente a arbitragem de Dewson Freitas da Silva, o técnico Diego Aguirre isentou Sidão de culpa pelo gol contra de Anderson Martins no empate por 1 a 1 com o Fluminense na tarde deste domingo, no Morumbi.

No lance em questão, ao tentar recuar a bola de cabeça após lançamento de Junior Sornoza, o zagueiro tirou do goleiro e marcou contra aos oito minutos do segundo tempo. Depois disso, Sidão passou a ser vaiado pelos quase 50 mil são-paulinos a cada vez que tocava na bola.

?Pelo que vi e pelo que falei com os treinadores de goleiro, o Sidão fez o que tinha de fazer. Aconteceu infelizmente que o Anderson Martins cabeceou a bola que não deveria ter cabeceado, e faz parte. Sidão fez um bom jogo?, avaliou.

Naquele instante, além de estar atrás no marcado, o São Paulo jogava com um homem a menos, uma vez que Diego Souza havia sido expulso por ter levado o cotovelo ao rosto de Léo, aos 33 minutos do primeiro tempo.

Diante de um cenário totalmente adverso, Aguirre acertou novamente nas substituições: colocou Tréllez e Régis nas vagas de Shaylon e Edimar, respectivamente. Aos 26 minutos da etapa final, após dar um chapéu em Ayrton Lucas, o lateral cruzou na medida para o centroavante testar e empatar o confronto.

Nos minutos finais, o time mandante ainda exerceu pressão sobre os cariocas, assim como quase tomou o segundo gol quando Matheus Alessandro acertou a trave de Sidão. Seja como for, Aguirre exaltou a postura de seus atletas no decorrer da partida.

?Foi muito emocionante. Sentia que o que aconteceu e ainda tomamos um gol. Estava difícil para reverter a situação. Eu me senti representado pelo time. Talvez não jogando muito futebol, mas na entrega. Senti isso e comemorei com eles. Me senti representado pelo que vi dentro de campo?, concluiu.

Apesar do tropeço em casa, o São Paulo se garantiu na liderança do Campeonato Brasileiro ao final da rodada. Com 46 pontos, o time não pode ser ultrapassado pelo Internacional, que visita o Cruzeiro nesta noite, no Mineirão. O Tricolor volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), para encarar o Atlético-MG, no Independência, pela 23ª rodada.

Gazeta Esportiva

TAGS