PUBLICIDADE
Esportes

Raí estipula prazo para definir situação de M. Guilherme no São Paulo

Raí, diretor executivo de futebol do São Paulo, estipulou um prazo para a definição da situação de Marcos Guilherme com o clube. Após a derrota do tricolor para o Palmeiras na noite desse sábado, o dirigente e ídolo são-paulino se dirigiu à imprensa e admitiu certo pessimismo quanto ao caso. ?A situação ainda longe de [?]

00:30 | 03/06/2018

Raí, diretor executivo de futebol do São Paulo, estipulou um prazo para a definição da situação de Marcos Guilherme com o clube. Após a derrota do tricolor para o Palmeiras na noite desse sábado, o dirigente e ídolo são-paulino se dirigiu à imprensa e admitiu certo pessimismo quanto ao caso.

?A situação ainda longe de ser resolvida, tentamos os últimos contatos e até o começo da semana a gente deve ter uma posição?, garantiu Raí.

No intervalo do Choque-Rei, pouco depois de abrir o placar, Marcos Guilherme foi enigmático. ?Deixa para depois do jogo. Depois do jogo eu dou uma satisfação ao torcedor?.

O problema é que uma confusão envolvendo um torcedor do Palmeiras na zona mista do Allianz Parque acabou interrompendo a prometida entrevista de Marcos Guilherme. O jogador, assim como todo o elenco tricolor, foi retirado do local por questão de segurança e acabou não esclarecendo tudo que pretendia.

Marcos Guilherme completou nesse sábado seu sexto jogo pelo São Paulo no Campeonato Brasileiro. Como o contrato de empréstimo do jogador com o time do Morumbi expira dia 30 desse mês, o atleta ?não pode? mais defender o clube, pois um sétimo jogo impediria sua transferência para qualquer outra equipe brasileira. Nem mesmo o Atlético-PR, dono de seus direitos econômicos e federativos, poderia utilizar o jogador, que dessa forma teria de ser obrigado a esperar até 2019 para voltar à atividade.

A diretoria do São Paulo já havia desistido de segurar Marcos Guilherme depois da recusa do Atlético-PR em negociação que poderia envolver até mesmo o meia Shaylon. Mas, diante do forte apelo de muitos torcedores e da identidade criado pelo jogador com o clube, o São Paulo resolveu fazer um último esforço. A proposta, no entanto, ainda não chega aos números pretendidos pelo Furacão, e por isso o clima é de pessimismo entre os paulistas.

Raí sobre o jogo

Sobre o jogo, Raí procurou amenizar a derrota de virada por 3 a 1, a perda da invencibilidade e a freguesia no Allianz Parque, local onde o São Paulo soma sete derrotas em sete duelos com o Palmeiras.

?Caímos, tivemos alguns erros, sabíamos que seria difícil, clássico, mas o time continua bem posicionado?, disse o dirigente. ?Tem de ter maturidade, na média o time vem tendo ótimas atuações, sempre crescendo, natural algumas caídas, mas tem de ter personalidade, mostrar a personalidade que teve para chegar até aqui invicto, tem que mostrar essa mesma personalidade agora, no momento de derrota? completou, antes de concluir reconhecendo que a virada mexeu com o time.

?O primeiro gol a equipe não sentiu. O segundo, meio inesperado, meio por a acaso, aí sim o time sentiu, mas não porque está jogando fora, foi natural porque qualquer time acaba sentindo?.

 

Gazeta Esportiva

TAGS