Indicado por Cuca, Gigliotti é uma das apostas do Independiente contra o SantosSantos Futebol Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Indicado por Cuca, Gigliotti é uma das apostas do Independiente contra o Santos

Ao assumir o Santos, há três semanas, Cuca percebeu a necessidade de ter um centroavante no elenco. E um dos nomes indicados pelo técnico foi Emmanuel Gigliotti, do Independiente-ARG, rival desta terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América. Não houve avanço na negociação, mas ao menos o treinador sabe quais [?]

15:31 | 20/08/2018

Ao assumir o Santos, há três semanas, Cuca percebeu a necessidade de ter um centroavante no elenco. E um dos nomes indicados pelo técnico foi Emmanuel Gigliotti, do Independiente-ARG, rival desta terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América.

Não houve avanço na negociação, mas ao menos o treinador sabe quais são os perigos oferecidos pelo atacante argentino de 31 anos, artilheiro do ?Rei de Copas? ? ele fez os dois gols do empate com o Newell?S Old Boys na última sexta-feira, pela primeira rodada do Campeonato Argentino (veja no vídeo abaixo). 

Gigliotti tem 1,87m de altura, é bom cabeceador e tem facilidade em fazer o pivô, características procuradas pelo Peixe em busca de um camisa 9. Mesmo grande, o jogador tem boa técnica e consegue ser útil no jeito de jogar do técnico Ariel Holan, com posse de bola, triangulações e variações táticas ao longo dos 90 minutos.

O goleador foi revelado pelo Argentinos Juniors e atuou pelo Lamadrid, All Boys, Atlético Tucuman, Novara Calcio-ITA, San Lorenzo, Colón, Boca Juniors e CQ Lifan-CHI. Seu melhor desempenho ocorreu no Colón, com 23 gols e três assistências em 39 atuações entre 2012 e 2013.

Depois de perder espaço e acabar no banco de reservas do Boca, Gigliotti foi para a China em fevereiro de 2015. Foram dois anos de ?perrengue? por lá. O atleta admitiu, em entrevista ao jornal Clarín, ter ido apenas pelo dinheiro.

?Para a China se vai por grana. Era tudo muito estranho. Não tem rede social, não tem vestiário, comida diferente, língua incompreensível. Eu ficava a maior parte do tempo sozinho, às vezes sabia dos dias de jogos quando saia do meu quarto para treinar. Torcida de costas e fazendo coreografia, horas e horas de trem para disputar uma partida. Tradutores no meio do campo durante um treino tático para que eu e mais alguns estrangeiros pudéssemos entender alguma coisa. Era muito difícil?, explicou.

Em melhor fase e sem maiores dificuldades na rotina do trabalho, Gigliotti forma o forte ataque do Independiente ao lado de Meza e Benítez. Meza disputou a Copa do Mundo pela Argentina e Benítez, com dores no adutor esquerdo, é dúvida. O substituto provável é Cerutti.

Gazeta Esportiva

TAGS