PUBLICIDADE
Esportes

Indefinição sobre técnico atrasa entradas, saídas e renovações no Santos

Chegou o fim de semana e o Santos, depois de cinco dias, ainda não acertou com um substituto para o técnico Jair Ventura. E empenhada com a reposição, a diretoria deixou outras negociações para depois. O Peixe não avançou pela ideia de mais três reforços além de Carlos Sánchez e Bryan Ruiz: um meio-campista defensivo, [?]

06:15 | 28/07/2018

Chegou o fim de semana e o Santos, depois de cinco dias, ainda não acertou com um substituto para o técnico Jair Ventura. E empenhada com a reposição, a diretoria deixou outras negociações para depois.

O Peixe não avançou pela ideia de mais três reforços além de Carlos Sánchez e Bryan Ruiz: um meio-campista defensivo, um meio-campista ofensivo e um centroavante. A conversa com o centroavante uruguaio Joaquín Ardaiz, por exemplo, foi paralisada.

E um diretor do Lyon veio ao Brasil para, entre outras coisas, tentar levar Lucas Veríssimo. O alvinegro, porém, ainda não se reuniu com o profissional. O objetivo do clube é obter 10 milhões de euros (R$ 43,3 mi) pelos 80% dos direitos econômicos. Uma oferta do Torino, de R$ 43,3 milhões por 100% do passe, foi recusada no início do mês.

Outra pauta interrompida foi a das renovações de alguns jogadores. Na última segunda-feira, o executivo de futebol Ricardo Gomes disse que precisava resolver isso para ?anteontem?. No entanto, o zagueiro Robson Bambu, com contrato até novembro, e os meio-campistas Léo Cittadini e Fernando Medeiros, com vínculos até dezembro, têm situação indefinida.

Mais uma pendência é Diego Pituca. O meia titular tem contrato até 2021, mas recebe cerca de R$ 20 mil e precisa ser valorizado pelo Santos, até para aumentar a multa rescisória e evitar assédio de outros clubes. A revelação em 2018 não foi procurada para negociar nos últimos dias.

Osorio é Plano A

O Peixe acertou um contrato com Zé Ricardo até dezembro de 2019, mas o deixou em stand by enquanto tenta Juan Carlos Osorio, que não renovou o acordo com a seleção mexicana. O antigo comandante do Vasco aguarda por uma resposta no Rio de Janeiro.

A primeira sinalização do profe foi positiva, mas há outras propostas e ele está de férias na Colômbia. Como o treinador seria quase uma unanimidade na diretoria e bem aceito pela torcida, o clube aceita esperar alguns dias se houver o interesse da parte dele. Os salários seriam de cerca de R$ 600 mil.

Dorival Júnior e Vanderlei Luxemburgo perderam força nos últimos dias. Dorival tem um processo em andamento por uma dívida deixada pelo ex-presidente Modesto Roma e não é bem aceito por parte da diretoria, assim como Luxemburgo. Ambos vêm de trabalhos irregulares em São Paulo e Sport, respectivamente.

Enquanto não tem um substituto para Jair, o Santos deve ser comandado pelo preparador de goleiros Arzul neste domingo, contra o América-MG, às 19h (de Brasília, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico interino Serginho Chulapa foi expulso no empate em 1 a 1 com o Flamengo.

Gazeta Esportiva

TAGS