PUBLICIDADE
Esportes

Relatório mostra contratação suspeita de equatoriano no Santos

O relatório do balancete do primeiro trimestre do Santos apontou a contratação suspeita de Jackson Porozo, um zagueiro equatoriano de 17 anos para a equipe sub-20. O Peixe pagou 350 mil euros (cerca de R$ 1,5 milhões) pelo defensor do Manta-EQU ? a primeira parcela foi paga em 2 de março e há outros dois [?]

15:15 | 04/06/2018

O relatório do balancete do primeiro trimestre do Santos apontou a contratação suspeita de Jackson Porozo, um zagueiro equatoriano de 17 anos para a equipe sub-20.

O Peixe pagou 350 mil euros (cerca de R$ 1,5 milhões) pelo defensor do Manta-EQU ? a primeira parcela foi paga em 2 de março e há outros dois boletos para 30 de junho e 30 de agosto deste ano.

O problema é que o alvinegro pagará 20% de uma futura venda ao Manta, além de 30% do lucro à empresa Hi Talent. O contrato assinado não menciona o motivo dessas cláusulas.

E para piorar, um dos fundadores da Hi Talent é Ricardo Crivelli, o Lica, coordenador das categorias de base afastado por acusação de abuso sexual. O profissional se retirou da sociedade em junho de 2015, substituído por Eduardo Brito de Melo, que, como apontado pelo relatório, tem como endereço residencial o mesmo de Lica.

Lica era sócio do presidente José Carlos Peres em outra empresa, a Saga Talent. A firma foi encerrada recentemente, com baixa registrada em 23 de maio, depois do assunto ser amplamente divulgado na imprensa. O mandatário afirmou que a Saga não opera há anos.

Diversos conselheiros estão insatisfeitos com essa operação e prometem questionar Peres em reunião do Conselho Deliberativo, quinta-feira, na Vila Belmiro. Há quem diga que essa transação será motivo de novo pedido de impeachment.

Gazeta Esportiva

TAGS