PUBLICIDADE
Esportes

Empresários de Zelarayán priorizam o Santos e aguardam por investidores

O Santos ainda tem esperança de contratar Lucas Zelarayán, do Tigres-MEX, meia na mira desde dezembro. O Peixe receberá 40 milhões de euros limpos (R$ 173 mi) pela venda de Rodrygo ao Real Madrid, mas a ideia é contar com o aporte do Grupo Sonda, por meio da DIS, para viabilizar a compra. Enquanto isso, [?]

17:00 | 16/06/2018

O Santos ainda tem esperança de contratar Lucas Zelarayán, do Tigres-MEX, meia na mira desde dezembro. O Peixe receberá 40 milhões de euros limpos (R$ 173 mi) pela venda de Rodrygo ao Real Madrid, mas a ideia é contar com o aporte do Grupo Sonda, por meio da DIS, para viabilizar a compra.

Enquanto isso, os empresários de Zelarayán priorizam o alvinegro e aguardam pela negociação com os investidores. A imprensa mexicana especulou o interesse do São Paulo no armador, mas conversas com outros clubes só serão iniciadas se o Santos não tiver condições de contratá-lo.

?Sonda e Santos têm prioridade por conversas iniciadas há um tempo. Esperamos por uma resposta na próxima semana. O Santos, por enquanto, é o único clube que negocia com Zelarayán no Brasil. A prioridade é exclusiva nos próximos dias. Depois disso, iniciaremos conversas com outros grandes clubes que já nos procuraram?, disseram os agentes Mario Puebla e Javier López em nota enviada à reportagem da Gazeta Esportiva.

O Santos fez as pazes com o Grupo Sonda e sugeriu uma lista com cinco jogadores, entre eles Zelarayán e Jailson, do Grêmio. O volante tem mais chances de vir neste momento e o Peixe acenou com uma proposta de 3 milhões de euros (cerca de R$ 13 milhões) por um contrato de quatro anos com o volante. A instabilidade do técnico Jair Ventura é um dos entraves.

Havia a expectativa de uma reunião entre o presidente José Carlos Peres e Delcir Sonda e Roberto Moreno, mandatário e diretor da empresa, na última segunda-feira, quando os investidores vieram a Santos para o lançamento do livro de Marcelo Teixeira. Um encontro do Comitê de Gestão do Peixe, na Vila Belmiro, inviabilizou a conversa. O objetivo é marcar uma conversa para os próximos dias.

A DIS foi uma grande parceira do alvinegro com Marcelo Teixeira, mas se distanciou do clube por conta de um litígio na gestão de Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, a partir de 2013, na venda de Neymar para o Barcelona. A empresa entendeu que a negociação escanteou os investidores, que detinham 40% dos direitos econômicos do atacante do PSG. O ex-presidente, em contrapartida, contestou valores pagos em troca de percentuais de jovens atletas e tentou desfazer acordos.

Agora, Peres busca ter a parceira de volta no mercado. Para isso, precisa superar problemas judiciais, como do próprio Neymar e de outros jogadores, como André e Wesley. Em contato com a Gazeta Esportiva, o diretor Roberto Moreno explicou a questão.

?Nós queremos ajudar, gostamos muito do Santos, mas precisamos superar esses problemas antigos. Nós somos uma S.A (Sociedade Anônima) e não basta só a gente querer (Roberto e Delcir), é preciso suprir os interesses de todos os investidores e do grupo de auditoria. Com isso resolvido, podemos fazer o aporte (em contratações)?, disse o executivo.

Gazeta Esportiva

TAGS