PUBLICIDADE
Esportes

Palmeiras tem a maior dívida dos grandes paulistas; São Paulo a menor

Segundo estudo da Sports Value, o Palmeiras terminou 2017 como o time mais endividado dentre os quatro grandes paulistas. Em contrapartida, o São Paulo, beneficiado pela venda de jogadores, foi o segundo clube brasileiro que mais diminuiu sua dívida. Mesmo campeão Paulista e Brasileiro, o Corinthians aumentou seu déficit, enquanto o Santos cortou gastos e [?]

08:45 | 04/05/2018

Segundo estudo da Sports Value, o Palmeiras terminou 2017 como o time mais endividado dentre os quatro grandes paulistas. Em contrapartida, o São Paulo, beneficiado pela venda de jogadores, foi o segundo clube brasileiro que mais diminuiu sua dívida. Mesmo campeão Paulista e Brasileiro, o Corinthians aumentou seu déficit, enquanto o Santos cortou gastos e fechou o ano com um pequeno saldo negativo.

Após ter um investimento alto e terminar o último ano sem levantar um caneco, o Palmeiras aumentou sua dívida em 2017. Apesar de ser o segundo time que mais arrecadou no Brasil, com R$ 503,7 milhões, o Verdão viu seu déficit nas contas chegar a R$ 462 milhões, o que simboliza um aumento de 17% em relação a 2016. Apesar disso, o Palestra tem a menor dívida fiscal dentre os grandes paulistas, com R$ 72 milhões.

Beneficiado por R$ 189 milhões arrecadados pela venda de jogadores e dono da terceira maior arrecadação dentre todos os times brasileiros (R$ 480,1 milhões), o São Paulo viu seu endividamento diminuir em mais de R$ 40 milhões, abaixando para R$ 295,4 milhões, valor que representa um decréscimo de 12% em relação ao calote total de 2016. A dívida fiscal do clube foi abatida em 7% e caiu para R$ 82,8 milhões.

Mesmo levantando o caneco do Campeonato Brasileiro e do Paulista, o Corinthians fechou o último ano ampliando sua dívida total para R$ 448 milhões, quantia 5% maior que a de 2016. A dívida fiscal seguiu essa linha e cresceu em 6%, alcançando R$ 215,3 milhões. Com isso, o Timão é o quarto time com o maior déficit fiscal do Brasil.

O Santos, por sua vez, equilibrou as contas, mas aumentou sua dívida total para R$ 360,7 milhões, 1% a mais que no ano anterior. No entanto, o calote fiscal do Peixe elevou em consideráveis 8%, indo para R$ 157,9 milhões.

 

 

 

 

Gazeta Esportiva