PUBLICIDADE
Esportes

Em maratona de jogos, Jair critica calendário: ?É uma loucura?

A maratona de jogos que o Santos iniciou nos últimos jogos já vem rendendo algumas dores de cabeça para Jair Ventura. Após a vitória por 3 a 1 sobre o Paraná, na Vila Belmiro, o treinador do Peixe não poupou o calendário do futebol brasileiro de críticas e usou Alison como exemplo para explicar as [?]

08:15 | 14/05/2018

A maratona de jogos que o Santos iniciou nos últimos jogos já vem rendendo algumas dores de cabeça para Jair Ventura. Após a vitória por 3 a 1 sobre o Paraná, na Vila Belmiro, o treinador do Peixe não poupou o calendário do futebol brasileiro de críticas e usou Alison como exemplo para explicar as consequências negativas que a falta de uma recuperação adequada pode fazer para um jogador.

?O Alison vem de um desgaste muito grande nos últimos jogos e na outra partida ele não suportou. Ele corre demais e estava com dificuldades de suportar o ritmo. Vou sentar com o departamento médico e analisar individualmente cada jogador. Se alguém precisar, vamos segurar. Esse mês vamos fazer 9 jogos em 30 dias, isso é uma loucura. Só será escalado quem estiver apto?, disse Jair.

Na próxima quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), o time da Vila Belmiro enfrenta o Luverdense pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil e a expectativa é de que o treinador do Peixe poupe alguns atletas devido a vantagem construída com a goleada de 5 a 1 na partida de ida. O próximo desafio pelo Campeonato Brasileiro é o São Paulo, jogo que Ventura deve utilizar força máxima.

?Temos que analisar o dia a dia, porque forçar um jogador que já tenha um indicador alto de possibilidade de lesão pode tirá-lo dos próximos quatro meses e isso sim é um problema. Temos que ter calma?, concluiu o treinador do Santos.

Também por conta do desgaste do elenco, o comandante santista espera ansiosamente pode contar novamente com Bruno Henrique. Questionado sobre a ?dor de cabeça? que o retorno pode causar, Jair brincou que se trata de uma questão que todo o treinador quer ter.

?Vamos continuar avaliando se ele está bem ou não. O sonho de todo o treinador é ter uma boa dor de cabeça. Aumenta a competição dentro do elenco. Com a volta do Bruno Henrique e algumas contratações ficaremos mais fortes?, finalizou.

 

Gazeta Esportiva

TAGS