PUBLICIDADE
Esportes

Jair exalta estilo de jogo do Santos e valoriza trabalho com a base

Já classificado para a segunda fase do Campeonato Paulista, o treinador Jair Ventura comemorou o fato de o Santos estar conseguindo impor o seu jogo após o empate com o Corinthians, em que o Peixe teve mais a posso de bola no segundo tempo. ?O Santos já está classificado. Seguimos como o segundo melhor do [?]

08:15 | 05/03/2018

Já classificado para a segunda fase do Campeonato Paulista, o treinador Jair Ventura comemorou o fato de o Santos estar conseguindo impor o seu jogo após o empate com o Corinthians, em que o Peixe teve mais a posso de bola no segundo tempo.

?O Santos já está classificado. Seguimos como o segundo melhor do Paulista. Mais uma vez tivemos mais posse de bola que o adversário. Algumas coisas do trabalho a gente consegue ver. O Santos está propondo jogo dentro e fora de casa. É uma situação que estamos treinando bastante, jogo apoiado?, disse ele.

Além disso, o comandante da equipe da Vila Belmiro destacou o trabalho que o Alvinegro Praiano faz com a base após Diogo Vitor ter marcado o gol do empate na reta final da partida contra o Corinthians.

?A qualidade do menino, não tem como ser hipócrita. É um jogador que eu já acompanhava desde o Santos B. Quando eu tive a chance de vir para o Santos, eu falei que queria esse garoto comigo. Quando eu cheguei, estava naquela situação de renovar ou não. Não foi fácil, o nosso presidente está de parabéns por ter conseguido. Espero que ele possa continuar no caminho certo, é uma joia, todos sabem que tem de ser lapidado. O treinador é chamado de burro, mas tem esses momentos gostosos, como conseguir resgatar um jogador?, disse Jair Ventura sobre o atacante de 21 anos.

?Acho que ninguém no Brasil joga com tantos jogadores da base. Nós inscrevemos 15 da base na Libertadores e hoje terminamos com oito da base (em campo). Gente, me ajuda, vamos divulgar isso. Eu procuro notícias, vocês não botam (risos). A gente está procurando soluções em casa. A base é muito forte e a torcida abraça. O Rodrygo estava pedindo passagem, entrando bem, entrando bem. Ele deu uma oscilada, mas voltou melhor. O Arthur teve sete ou oito jogos como titular, era a hora do Rodrygo. Brinquei com ele: ?vamos ver se você vai ser o 17 ou o 7?, o que entra bem ou o que joga do início. E ele foi bem. O Arthur também entrou bem?.

Gazeta Esportiva

TAGS