PUBLICIDADE
Esportes

Antes de ir aos EUA, Bruno Henrique espera por ?passaporte perdido?

O Santos decidiu enviar Bruno Henrique aos Estados Unidos para uma última avaliação sobre a contusão na retina do olho direito. O problema é que o atacante teve problemas com seu passaporte. Em nota oficial, sua assessoria diz que o documento foi perdido. A expectativa é que Bruno resolva a burocracia para viajar na semana [?]

15:30 | 16/03/2018

O Santos decidiu enviar Bruno Henrique aos Estados Unidos para uma última avaliação sobre a contusão na retina do olho direito. O problema é que o atacante teve problemas com seu passaporte. Em nota oficial, sua assessoria diz que o documento foi perdido.

?O atacante Bruno Henrique ainda aguarda a resolução de uma situação envolvendo o seu passaporte para poder ir aos Estados Unidos concluir o tratamento de sua lesão sofrida no olho na estreia do Santos no Campeonato Paulista. O documento do atleta, ainda sem explicações concisas dos órgãos responsáveis, desapareceu após a solicitação do visto de entrada nos EUA.

Em janeiro deste ano, Bruno Henrique e sua esposa deram entrada no Consulado Americano com o pedido de visto em conjunto, uma vez que o casal se prepara para a chegada do filho e o enxoval será realizado naquele país. Após aprovação de ambos, foi marcada a data de retirada dos dois passaportes com o carimbo do visto. Ao chegar no local, apenas o documento da esposa do jogador foi entregue.

O Consulado, em conjunto com a Polícia Federal, pediu prazo para apresentar uma justificativa para o ocorrido. Por conta do caráter de urgência, que envolve a saúde do atleta em questão, o Santos enviou uma carta aos órgãos competentes e solicitou até mesmo ao prefeito de São Paulo, João Dória, para fazer o mesmo.

Por conta das lesões sofridas no olho de Bruno Henrique, o Santos tomou a decisão de levá-lo ao John Hopkins Wilmer Eye Institute, em Baltimore (EUA) para maiores avaliações. Assim, o jogador e seu empresário apresentaram a situação envolvendo o documento do atleta ao clube, que trabalha para regularizar o problema o mais rápido possível?. 

 

Gazeta Esportiva

TAGS