">
PUBLICIDADE
Esportes

Feliz jogando nos EUA, Ibson recorda momento marcante com Caio Jr

Em 2015, o meia Ibson deixou o Brasil rumo aos Estados Unidos. Depois de jogar por Flamengo, Santos e Corinthians, além de Porto e Spartak Moscou, o jogador passou a integrar o elenco do Minnesota United, time que, na época, disputava a segunda divisão do país norte americano, e onde está até hoje. Neste ano, [?]

09:45 | 04/10/2017

Em 2015, o meia Ibson deixou o Brasil rumo aos Estados Unidos. Depois de jogar por Flamengo, Santos e Corinthians, além de Porto e Spartak Moscou, o jogador passou a integrar o elenco do Minnesota United, time que, na época, disputava a segunda divisão do país norte americano, e onde está até hoje.

Neste ano, a equipe passou a fazer parte da Major League Soccer, principal liga que corresponde à primeira divisão do futebol nos EUA. Com 33 anos, Ibson exalta a nova experiência e se diz feliz com a vida no país. ?Estou no meu terceiro ano e está sendo fantástico. Eu estou muito bem, me cuidando bastante. No Brasil, a gente estava habituado a jogar domingo e quarta, aqui é uma vez por semana. Vivo muito bem, com a minha esposa que está junto comigo há 17 anos e tenho dois filhos. É uma experiência nova, em um país diferente em que posso dar uma qualidade de vida melhor para minha família e curtir mais eles?, destacou em entrevista à Gazeta Esportiva.

Voltando no tempo, Ibson relembra onde tudo começou: no Flamengo. ?Eu passei a maior parte da minha vida no Flamengo?cheguei lá com nove anos, foi onde eu me formei jogador, onde fui apresentado ao mundo do futebol. Tenho um carinho muito grande por todos, pela torcida?, afirmou.

O meia fez questão de destacar os anos de 2007 e 2008 como as lembranças mais especiais que teve no time carioca. Após duas temporadas no Porto de Portugal, o jogador retornou ao Rubro-negro e recordou a reação histórica do time, ao saltar da penúltima colocação para a terceira, conseguindo vaga para a Copa Libertadores. E lembrou ainda de um jogo contra o Palmeiras, em 2008, no qual marcou três gols na vitória por 5 a 2: ?Saí ovacionado. Tinha também um grande amigo que hoje não está mais aqui, que era o Caio Júnior. No meu terceiro gol, ele entrou em campo para comemorar com a gente. Foram momentos especiais?.

Futebol paulista

Em São Paulo foram duas passagens: em 2011 no Santos e em 2013 no Corinthians. No Peixe, o meia sofreu com uma lesão depois de apenas seis jogos e ficou dois meses afastado. No ano seguinte, conseguiu fazer um bom Campeonato Paulista, quando conquistou o tricampeonato com o time da baixada.

?Foi sensacional. O Muricy era o treinador e também tinha um elenco sensacional, com Neymar, Ganso, Borges? foi um ano maravilhoso na minha vida. É uma cidade em que tenho muitos amigos ainda, que sempre que posso eu volto?.

?Onde eu tive muita dificuldade para jogar foi no Corinthians. Não foi como eu esperava?. No Timão, Ibson chegou a jogar 26 partidas, mas não teve o espaço que imaginava. Apesar disso, diz ter sido muito feliz no clube, além de exaltar a qualidade do técnico Tite.

?Foi uma experiência bacana. Tive a oportunidade de trabalhar com o Tite, que é um cara sensacional, bem honesto em relação a tudo. Mas futebol é assim, às vezes as coisas não dão certo. E era para ser o contrário, era para dar muito certo, mas infelizmente não deu. Mas eu não mudaria nada, porque fui muito feliz lá também. Não foi como eu esperava? mas conheci pessoas sensacionais, é um clube maravilhoso, com um CT sensacional e fui muito feliz no ano que passei lá?, avaliou.

Experiência nos EUA 

Principal liga dos Estados Unidos e Canadá, a MLS é um dos campeonatos que mais cresce nos últimos anos. Para Ibson, a tendência é que a competição se desenvolva ainda mais: ?O futebol aqui está crescendo muito e tem a tendência de crescer mais. Os treinos e a intensidade dos jogos são parecidos com outros países. Em relação à parte técnica, acredito que aqui tenha muitos jogadores de muita qualidade. Taticamente enfrenta algumas dificuldades, porque não tem categorias de base, por exemplo. Mas eles estão em busca de melhorar isso?.

Uma das diferenças em relação ao Campeonato Brasileiro é também o uso do árbitro de vídeo. O recurso foi adotado no início da temporada e vem dividindo opiniões. ?Eu acho que tudo o que for para a melhora do esporte, para que não haja mais erros é sempre válido. Mas tem de ser treinado. É uma coisa que precisa repetir bastante para que não ocorra erros também. Torço para que dê certo?, analisou o meia, que acredita que adoção do vídeo seria boa no Brasil também.

Quanto ao futuro, Ibson revelou que pensa em voltar ao Brasil, mas ainda quer ficar mais algum tempo nos Estados Unidos: ?Tenho contrato até esse ano e tenho dois anos de opção. Ainda quero ficar mais um tempo aqui, minha esposa não quer voltar, mas ainda penso em voltar para o Brasil. Talvez no time da cidade do meu pai que é Campos ou na minha cidade que é São Gonçalo, onde temos um time lá disputando algumas competições, e penso em ajudar. Mas não sei ainda o que vou fazer da minha vida. Não sei até quando vou jogar, não tenho nada programado. Vamos ver o que Deus tem guardado aí para mim?.

Gazeta Esportiva

TAGS