PUBLICIDADE
Esportes

Leila Pereira se irrita e evita falar de Corinthians em renovação de contrato

A história entre Palmeiras e Crefisa vai continuar pelos próximos três anos, após renovação assinada na manhã desta quarta-feira, na Academia de Futebol. Leila Pereira, dona da empresa, porém, se esquivou de perguntas sobre o novo vínculo entre o maior rival do clube, o Corinthians, e o banco BMG, que causou algumas comparações na última [?]

14:15 | 23/01/2019

A história entre Palmeiras e Crefisa vai continuar pelos próximos três anos, após renovação assinada na manhã desta quarta-feira, na Academia de Futebol. Leila Pereira, dona da empresa, porém, se esquivou de perguntas sobre o novo vínculo entre o maior rival do clube, o Corinthians, e o banco BMG, que causou algumas comparações na última semana, principalmente após um ?derby online? no Twitter das duas empresas.

?Deixa eu te falar uma coisa. Aqui nós estamos conversando sobre o Palmeiras, decacampeão brasileiro, o maior campeão do Brasil. Então, eu não gostaria de falar de outros clubes, tá bom??, disse a conselheira quando perguntada sobre o alvinegro.

Além disso, ela também falou sobre como é importante um patrocinador forte para os clubes, não só individualmente, como também para o futebol brasileiro no geral. ?Os outros clubes não devem ficar incomodados, eles deveriam seguir o modelo do Palmeiras e buscar um patrocinador tão forte quanto o do Palmeiras. Eu sempre falo que eu gostaria que a nossa parceria servisse de exemplo para outros clubes de futebol, porque isso não é bom só para o Palmeiras, mas para o futebol brasileiro. Isso é bom para todos vocês que trabalham com o futebol. Imagina se todos os clubes tivessem um patrocinador parecido?, avaliou.

Palmeiras e Crefisa continuam com a parceria que existe desde 2015. Agora, porém, os valores foram ajustados: serão R$ 81 milhões por temporada, R$ 3 milhões a mais que no ano passado, até 2021, além de outros valores, como luvas, ?investimentos em marketing? e bonificações, podendo totalizar R$ 136 milhões por ano e R$ 410 milhões no total do período. Desde que se juntaram, o alviverde conquistou uma Copa do Brasil (2015) e dois Campeonatos Brasileiros (2016 e 2018), além do vice nacional em 2017.

Em Itaquera, o Corinthians também fechou contrato de patrocínio por cinco anos com o banco mineiro BMG, oficializado na última terça-feira, e, até agora, já foram adiantados R$ 30 milhões aos cofres corintianos.

Gazeta Esportiva