Dudu e Pavón fazem duelo de camisas 7 decisivosSociedade Esportiva Palmeiras | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Dudu e Pavón fazem duelo de camisas 7 decisivos

Palmeiras e Boca Juniors começam a disputar vaga na final da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Bombonera. O confronto colocará dois camisas 7 que são o principal nome de sua equipe frente a frente. Luiz Felipe Scolari conta com Dudu como seu homem de confiança e um dos jogadores mais decisivos. [?]

13:15 | 24/10/2018

Palmeiras e Boca Juniors começam a disputar vaga na final da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Bombonera. O confronto colocará dois camisas 7 que são o principal nome de sua equipe frente a frente. Luiz Felipe Scolari conta com Dudu como seu homem de confiança e um dos jogadores mais decisivos. Já os argentinos têm em seu elenco o badalado Christian Pavón, que é considerado uma das principais promessas do futebol local.

Um dos líderes do Verdão, Dudu é símbolo da recuperação da equipe palestrina após a briga pelo rebaixamento em 2014. O jogador de 26 anos ajudou o time alviverde a conquistar o Campeonato Brasileiro após 22 anos e também foi um dos principais nomes do título da Copa do Brasil sobre o Santos em 2015.

Por sua vez, Pavón passou a ganhar espaço na equipe xeneize após ter sido emprestado para o Colón em 2014. Desde então, a jovem promessa se consolidou como um dos principais jogadores da equipe apesar de ter 22 anos. Ele foi uma das principais ameaças ao Verdão nos dois confrontos da fase de grupos, inclusive dando o passe para o gol de Tevez no empate por 1 a 1 no Allianz Parque. Nos últimos dois anos, ele ajudou o time Azul y Oro vencer o bicampeonato Argentino nas temporadas 2016/17 e 2017/18.

Além do número, os dois jogadores têm semelhanças em termos de passagem por suas respectivas seleções. Enquanto Dudu defendeu o Brasil na base e em poucos jogos do time principal, Pavón também teve passagem pela base da Albiceleste e ganhou espaço a partir de 2017, sendo convocado para disputar a Copa do Mundo de 2018. O argentino ainda participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Já o atacante do Palmeiras esteve na lista de suplentes de Tite para o Mundial da Rússia.

Jogando no profissional há mais tempo, o atleta do Verdão tem basicamente o dobro de número de gols e partidas do que a promessa do Boca. São 52 tentos em 219 duelos vestindo a camisa alviverde contra 25 gols de Pavón em 110 jogos pelos Xeneizes.

Gazeta Esportiva

TAGS