PUBLICIDADE
Esportes

No dia do reencontro, veja quais as chances de Scarpa voltar ao Flu

Nesta quarta-feira, Gustavo Scarpa irá enfrentar o Fluminense pela primeira vez em sua carreira. O meia e o clube das Laranjeiras brigam na Justiça desde dezembro do ano passado e com tamanho imbróglio jurídico, a torcida palestrina segue preocupada em perder seu camisa 14 para o Tricolor. Scarpa entrará em campo vestindo o manto do [?]

09:45 | 25/07/2018

Nesta quarta-feira, Gustavo Scarpa irá enfrentar o Fluminense pela primeira vez em sua carreira. O meia e o clube das Laranjeiras brigam na Justiça desde dezembro do ano passado e com tamanho imbróglio jurídico, a torcida palestrina segue preocupada em perder seu camisa 14 para o Tricolor.

Scarpa entrará em campo vestindo o manto do Maior Campeão do Brasil nesta noite graças ao habeas corpus concedido pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho), que permitiu o retorno do jogador ao Palestra. O Flu entrou com pedido de efeito suspensivo no Tribunal de Brasília, mas teve o recuso negado pelo ministro Alexandre Belmonte. Mesmo assim, a briga está longe do fim.

?A decisão liminar do TST no habeas corpus impetrado pelo Scarpa permite que ele prossiga com a carreira, mas não trata das outras questões de natureza pecuniária, econômica, decorrentes da relação de trabalho com o Fluminense?, explicou Jean Nicolau, jornalista esportivo, advogado especializado em direito desportivo, e blogueiro da Gazeta Esportiva.

O julgamento do agravo ainda está pendente no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) e não tem data marcada para acontecer. A decisão do ministro Belmonte não foi bem vista no clube carioca, já que o corpo jurídico do clube considerou um desrespeito ao que havia sido determinado pelo TRT.

?O objetivo do habeas corpus, recurso não muito comum em ambiente do trabalho, era libertar o jogador do contrato com o Fluminense. Esse recurso, vale lembrar, foi utilizado pelo Oscar, quando ele tentou a liberação do São Paulo?, completou Nicolau Jean.

Concomitantemente ao caso, o Palmeiras, já com Scarpa reintegrado ao elenco, agora topa entrar em um acordo com o Fluminense para evitar novos passos na Justiça. O clube carioca aguardou uma compensação anteriormente, mas o Verdão não tinha o interesse de negociar.

Relembre o caso:

Segundo o advogado do atleta, o Fluminense deve a Scarpa R$ 735 mil, referente a atrasos do FGTS (junho a novembro de 2017), direitos de imagem (agosto a novembro de 2017), o 13º salário de 2016, férias e o salário de novembro de 2017, de quase R$ 135 mil. Além de R$ 84 mil em salários de março a outubro de 2017.

No dia 12 de janeiro, a juíza Dalva Macedo, da 70ª Vara do Trabalho do Rio, negou o pedido de liberação antecipada enquanto o processo estivesse em andamento. Um dia depois, porém, Scarpa entrou com um mandado de segurança em segunda instância e conseguiu se desvincular do time carioca, assinando acordo de cinco anos com o Palmeiras.

Vestindo o manto do Maior Campeão do Brasil, ele jogou em um primeiro momento de janeiro a março, atuando em sete partidas do Campeonato Paulista (duas como titular). No dia 11 de março, o Palestra venceu o Ituano por 3 a 0, com dois gols do meio-campista. O duelo foi o último antes da mesma juíza, Dalva Macedo, apresentar parecer que o colocou novamente como atleta do Flu.

Em seguida, com o TST concedendo habeas corpus ao jogador, no final de junho, Scarpa ficou livre para assinar com a equipe que tivesse interesse. Assim, mesmo com uma oferta de mais de R$ 40 milhões de uma equipe da Arábia Saudita, além de sondagens do Benfica-POR, o atleta optou por reassinar seu contrato com o Verdão.

Gazeta Esportiva

TAGS