PUBLICIDADE
Esportes

TJD nega pedido e Galiotte fala em ir ?até as últimas consequências?

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), presidido por Antônio Olim, negou nesta sexta-feira o pedido de impugnação da final do Campeonato Paulista feito pelo Palmeiras. Maurício Galiotte, presidente do clube, pretende levar a reivindicação ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). No entendimento de Olim, o Palmeiras perdeu o prazo para pleitear a impugnação, uma [?]

14:30 | 04/05/2018

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), presidido por Antônio Olim, negou nesta sexta-feira o pedido de impugnação da final do Campeonato Paulista feito pelo Palmeiras. Maurício Galiotte, presidente do clube, pretende levar a reivindicação ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

No entendimento de Olim, o Palmeiras perdeu o prazo para pleitear a impugnação, uma vez que o requerimento deveria ser protocolado em até dois dias depois da entrada da súmula. O clube, por sua vez, considera que o prazo foi paralisado com o pedido de instauração de inquérito e passou a contar apenas após o arquivamento.

?O Palmeiras continuará no caso, vamos ao STJD. Meu compromisso é com o Palmeiras, com a camisa do Palmeiras e com o nosso torcedor. Então, vamos até as últimas consequências e vamos levar o caso ao STJD?, afirmou Galiotte em entrevista ao Fox Sports.

O clube alviverde entende que houve interferência externa na arbitragem da final do Campeonato Paulista, vencida pelo Corinthians. O juiz Marcelo Aparecido marcou pênalti de Ralf sobre Dudu no segundo tempo, mas, oito minutos depois, voltou atrás.

Questionado se cogita levar o assunto à Corte Arbitral do Esporte, Galiotte confirmou. ?Sim, há possibilidade. O caso é muito claro, é evidente. Temos provas, há muitas contradições e evidências. É só existir boa vontade para apurar tudo que aconteceu. Então, se for o caso, sim, o Palmeiras vai até a Fifa?, declarou.

Denunciado pelo TJD por chamar o campeonato de ?Paulistinha? e dizer que o torneio ?estava manchado?, Maurício Galiotte reiterou sua posição. O presidente do Palmeiras adiantou que não estará presente ao julgamento e tampouco enviará um advogado para representá-lo.

?A forma com que o Tribunal vem atuando, com total falta de interesse em apurar a verdade, não merece a minha deferência?, avisou. ?Com tudo que ocorreu, aquele jogo perdeu a credibilidade. É por isso que falei Paulistinha e mantenho minha posição?, completou.

Gazeta Esportiva

TAGS