PUBLICIDADE
Esportes

Após 2017 sem títulos, Felipe Melo vê Palmeiras mais ?cascudo? em 2018

Desde a temporada passada, a grande ambição do Palmeiras é a conquista da Copa Libertadores. Em 2017, porém, o alto investimento não foi concretizado dentro de campo e o time, na época comandado por Eduardo Baptista, na primeira fase, e Cuca na fase final, acabou eliminado nas oitavas de final para o Barcelona de Guayaquil-EQU, [?]

16:00 | 24/05/2018

Desde a temporada passada, a grande ambição do Palmeiras é a conquista da Copa Libertadores. Em 2017, porém, o alto investimento não foi concretizado dentro de campo e o time, na época comandado por Eduardo Baptista, na primeira fase, e Cuca na fase final, acabou eliminado nas oitavas de final para o Barcelona de Guayaquil-EQU, terminando o ano sem conquistas.

Diferentemente da última temporada, o alviverde se encontra mais ?cascudo? e ?melhor preparado? para 2018, segundo o próprio Felipe Melo. Com a melhor campanha da fase de grupos, o time comandado por Roger Machado tem a vantagem de decidir todos os mata-matas dentro do Allianz Parque.

?Claro que devido ao que aconteceu no ano passado, a gente se encontra melhor preparado. Porém, precisamos demostrar que houve um avanço quando entrarmos em campo, fazendo na hora certa, por exemplo, o que fizemos com o Boca Juniors em La Bombonera, onde vencemos com autoridade. É óbvio que estamos ganhando casca, mas não adianta nada não representar em campo?, disse o volante em entrevista ao canal SporTV.

Mesmo com o saldo positivo e os recentes bons resultados, o desempenho nos clássico contra o Corinthians e o revés no duelo mais recente teve consequências na relação dos jogadores e da comissão técnica com parte da torcida organizada. Para buscar dividir responsabilidades, Roger Machado passou a adotar o rodízio de capitães, algo que o camisa 30 vê como positivo, mas não imprescindível.

?Essa situação, de ser capitão e líder, a gente mostra no nosso dia-a-dia, durante os treinamentos, com profissionalismo, na ajuda que a gente dá para os outros jogadores. Acho que isso eu tenho exercido de forma sublime aqui no Palmeiras. Claro que com o passar dos anos você adquire mais confiança, experiência e isso te dá mais liberdade para fazer as coisas?, ressaltou.

 

Gazeta Esportiva

TAGS
Após 2017 sem títulos, Felipe Melo vê Palmeiras mais ?cascudo? em 2018Sociedade Esportiva Palmeiras | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes

Após 2017 sem títulos, Felipe Melo vê Palmeiras mais ?cascudo? em 2018

Desde a temporada passada, a grande ambição do Palmeiras é a conquista da Copa Libertadores. Em 2017, porém, o alto investimento não foi concretizado dentro de campo e o time, na época comandado por Eduardo Baptista, na primeira fase, e Cuca na fase final, acabou eliminado nas oitavas de final para o Barcelona de Guayaquil-EQU, [?]

16:00 | 24/05/2018

Desde a temporada passada, a grande ambição do Palmeiras é a conquista da Copa Libertadores. Em 2017, porém, o alto investimento não foi concretizado dentro de campo e o time, na época comandado por Eduardo Baptista, na primeira fase, e Cuca na fase final, acabou eliminado nas oitavas de final para o Barcelona de Guayaquil-EQU, terminando o ano sem conquistas.

Diferentemente da última temporada, o alviverde se encontra mais ?cascudo? e ?melhor preparado? para 2018, segundo o próprio Felipe Melo. Com a melhor campanha da fase de grupos, o time comandado por Roger Machado tem a vantagem de decidir todos os mata-matas dentro do Allianz Parque.

?Claro que devido ao que aconteceu no ano passado, a gente se encontra melhor preparado. Porém, precisamos demostrar que houve um avanço quando entrarmos em campo, fazendo na hora certa, por exemplo, o que fizemos com o Boca Juniors em La Bombonera, onde vencemos com autoridade. É óbvio que estamos ganhando casca, mas não adianta nada não representar em campo?, disse o volante em entrevista ao canal SporTV.

Mesmo com o saldo positivo e os recentes bons resultados, o desempenho nos clássico contra o Corinthians e o revés no duelo mais recente teve consequências na relação dos jogadores e da comissão técnica com parte da torcida organizada. Para buscar dividir responsabilidades, Roger Machado passou a adotar o rodízio de capitães, algo que o camisa 30 vê como positivo, mas não imprescindível.

?Essa situação, de ser capitão e líder, a gente mostra no nosso dia-a-dia, durante os treinamentos, com profissionalismo, na ajuda que a gente dá para os outros jogadores. Acho que isso eu tenho exercido de forma sublime aqui no Palmeiras. Claro que com o passar dos anos você adquire mais confiança, experiência e isso te dá mais liberdade para fazer as coisas?, ressaltou.

 

Gazeta Esportiva

TAGS