PUBLICIDADE
Esportes

Técnico do Boca Juniors vê justiça com gol de Tevez nos acréscimos

A entrevista coletiva concedida pelo técnico Guillermo Barros Schelotto não atraiu tanta atenção após o empate entre Palmeiras e Boca Juniors, por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque. Na única pergunta que respondeu, o comandante do time argentino se alongou ao defender o equilíbrio do duelo. ?Foi uma partida muito parelha. [?]

01:15 | 12/04/2018

A entrevista coletiva concedida pelo técnico Guillermo Barros Schelotto não atraiu tanta atenção após o empate entre Palmeiras e Boca Juniors, por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque. Na única pergunta que respondeu, o comandante do time argentino se alongou ao defender o equilíbrio do duelo.

?Foi uma partida muito parelha. A nossa equipe fez um bom jogo, inteligente, bloqueando todos os ataques do Palmeiras, o melhor setor deles, com jogadores rápidos. Também tivemos as nossas chances?, comentou.

Justamente por isso, Schelotto considerava um castigo não merecido o gol sofrido pelo Boca aos 44 minutos do segundo tempo, quando Jara furou diante de Guerra, que cruzou para Keno abrir o placar. Aos 46, porém, quem vacilou foi Antônio Carlos, e o ex-corintiano Tevez completou para dentro.

?A derrota era uma injustiça muito grande. O empate estava bom. O Boca jogou com personalidade, muito concentrado, e fez o que deveria para conquistar ao menos um ponto. Jogar de igual para igual com o Palmeiras neste campo não é fácil, e conseguimos fazer isso?, orgulhou-se o ex-jogador.

Com a igualdade, o Boca Juniors passou a somar 5 pontos no grupo 8 da Libertadores, dois de desvantagem para o líder Palmeiras. As duas equipes irão se reencontrar na quarta-feira de 25 de abril, em La Bombonera.

Gazeta Esportiva

TAGS