PUBLICIDADE
Esportes

Sede da FPF é depredada após final do Campeonato Paulista

A sede da Federação Paulista de Futebol, próxima ao Allianz Parque, foi alvo de vandalismo horas depois da decisão do Paulistão entre Palmeiras x Corinthians. Indivíduos, supostamente torcedores alviverdes, depredaram o prédio da FPF. Janelas do prédio e o carro de um dos funcionários da entidade foi atingido por pedras. Além disso, o escudo do [?]

21:15 | 08/04/2018

A sede da Federação Paulista de Futebol, próxima ao Allianz Parque, foi alvo de vandalismo horas depois da decisão do Paulistão entre Palmeiras x Corinthians. Indivíduos, supostamente torcedores alviverdes, depredaram o prédio da FPF.

Janelas do prédio e o carro de um dos funcionários da entidade foi atingido por pedras. Além disso, o escudo do Corinthians foi arrancado do portão da FPF, que exibe o símbolo se todos os clubes vinculados à Federação.

Essa não foi a única confusão envolvendo o Derby deste domingo. Durante a partida, um homem vestindo cinza foi agredido na torcida do Palmeiras e acabou sendo retirado por policiais. A informação inicial é de que se tratava de um corintiano infiltrado.

A diretoria do Palmeiras ordenou que nenhum jogador ou membro da comissão técnica concedesse entrevista após o Derby deste domingo. Por conta disso, o presidente Mauricio Galiotte foi o único a se manifestar na zona mista. Em seu discurso, disse para os torcedores palestrinos ignorarem o ?paulistinha? e afirmou que o campeonato está manchado.

Aos 26 minutos do segundo tempo, o árbitro Marcelo Aparecido anotou pênalti de Ralf em Dudu, o que iniciou uma confusão generalizada no gramado. À princípio, por mais que os corintianos argumentassem que o volante havia tocado apenas a bola, o árbitro se mostrava convicto em sua marcação. A pressão alvinegra, porém, foi forte e após uma conversa com um auxiliar que estava fora do gramado, o árbitro voltou atrás na penalidade.

Os presentes, que bateram recorde de público da história do Allianz Parque gritaram em coro: ?Tem um palhaço querendo aparecer e vai morrer?, seguido de ?Se o Palmeiras não ganhar olêolêolá, o pau vai quebrar? e ?Vergonha?. Oito minutos depois, a partida recomeçou, mas sem emoção e apenas para seguir às penalidades.

Gazeta Esportiva

TAGS