PUBLICIDADE
Esportes

Em estreia na Bombonera, Dracena sonha com início de arrancada

Aos 36 anos de idade, ganhador da edição de 2011 da Copa Libertadores, Edu Dracena jamais atuou no Estádio La Bombonera. Experiente, o zagueiro espera que a partida contra o Boca Juniors possa marcar uma arrancada do Palmeiras na temporada de 2018. ?Vai ser minha primeira vez na Bombonera. Todo o mundo fala que é [?]

15:00 | 24/04/2018

Aos 36 anos de idade, ganhador da edição de 2011 da Copa Libertadores, Edu Dracena jamais atuou no Estádio La Bombonera. Experiente, o zagueiro espera que a partida contra o Boca Juniors possa marcar uma arrancada do Palmeiras na temporada de 2018.

?Vai ser minha primeira vez na Bombonera. Todo o mundo fala que é especial jogar lá e, graças a Deus, vou ter uma chance. Então, tenho que faze por onde. Vai ser um momento especial tanto na minha carreira quanto para o Palmeiras?, declarou Dracena.

Após uma série de três partidas sem vencer, incluindo uma derrota diante do Corinthians na final do Campeonato Paulista, o Palmeiras quebrou o jejum diante do Internacional, no último domingo. Contra o Boca Juniors, o time defendido pode aliviar ainda mais a pressão.

?(Uma vitória) seria ideal para voltarmos tranquilos para São Paulo. Sabemos que nunca é fácil enfrentar o Boca, um time que sempre entra como um dos favoritos nas competições. Mas acredito muito que o Palmeiras possa dar uma arrancada na temporada, de olhar para o time e saber que agora vai chegar onde pode?, projetou.

O confronto entre Palmeiras e Boca Juniors está marcado para as 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio La Bombonera. O duelo vale a liderança do Grupo 8 da Copa Libertadores, já que o time brasileiro tem sete pontos, dois a mais do que o argentino.

?O Boca vai pressionar desde o início e o Palmeiras vai precisar saber lidar com isso. Espero que possamos entrar focados e concentrados para evitar surpresas. Uma vitória seria um passo grande no rumo da classificação à próxima fase. Se não der para ganhar, temos que somar. Na Libertadores, isso é importante?, ensinou.

Gazeta Esportiva

TAGS