PUBLICIDADE
Esportes

Como o Palmeiras pode resolver o imbróglio jurídico de Gustavo Scarpa

Foi Gustavo Scarpa, não o Palmeiras que foi derrotado no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, quinta-feira. No entanto, o Verdão, como parte interessada no caso, pode interceder para facilitar o imbróglio jurídico do jogador e seu estafe. Quando todo o processo for concluído ? se chegar a tal ? o Fluminense terá [?]

08:15 | 16/03/2018

Foi Gustavo Scarpa, não o Palmeiras que foi derrotado no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, quinta-feira. No entanto, o Verdão, como parte interessada no caso, pode interceder para facilitar o imbróglio jurídico do jogador e seu estafe.

Quando todo o processo for concluído ? se chegar a tal ? o Fluminense terá um atleta insatisfeito em seu elenco. Assim, o Tricolor tem como opção exigir o valor da multa contratual por quebra de vínculo, ou negociar um acerto com o Palmeiras. A segunda opção é a vista com mais bons olhos pelo clube das Laranjeiras, que tem interesse desde o início da temporada nas contratações de Michel Bastos e Hyoran.

Vale ressaltar ainda que, no contrato do camisa 14 com o Palmeiras, há uma cláusula que desobriga o clube de arcar com qualquer indenização ao Fluminense em caso de derrota na Justiça ? ficando estas a cargo do atleta e seus agentes.

Em julgamento realizado no TRT-RJ, o Fluminense conseguiu derrubar ? por 5 votos a 4 ? a liminar que permitia o acerto do meia com o Alviverde. A decisão não é definitiva e agora o caso terá o trâmite normal na 70ª Vara do Trabalho do Rio. Além disso, o atleta vai recorrer da decisão ao TST (Tribunal Superior do Trabalho), em Brasília.

Fato é que, com a decisão judicial, fica reestabelecido o vínculo de Gustavo Scarpa com o Fluminense. Entretanto, enquanto o TRT-RJ não emitir os ofícios ao Palmeiras, CBF (Confederação Brasileira de Futebol), FERJ (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) e FPF (Federação Paulista de Futebol) o jogador seguirá registrado no BID (Boletim Informativo Diário) como atleta alviverde e, portanto, não poderá ser impedido de atuar ou treinar pelo clube.

Vale ressaltar ainda que, a notificação emitida pela Justiça, em casos como esse, é enviada pelos Correios, que estão em greve. Um oficial de justiça também pode entregar, porém apenas por urgência e com requerimento da parte.

No final de 2017, Gustavo Scarpa entrou na Justiça contra o Fluminense por conta de R$ 9 milhões devidos pelo clube ao jogador, entre salários, direitos de imagem e outras pendências. Em janeiro, o meia conseguiu a rescisão contratual na Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro e assinou com o Palestra por cinco temporadas.

O novo capítulo no imbróglio jurídico acontece justamente no melhor momento de Scarpa no Palmeiras. Após uma longa pré-temporada, o camisa 14 marcou seus primeiros gols pelo clube no último domingo, em vitória sobre o Ituano.

Gazeta Esportiva

TAGS