PUBLICIDADE
Esportes

Com Roger, Borja recebe o mesmo pedido de técnicos anteriores

O técnico é novo, mas o pedido é antigo. Em 2018, Miguel Borja será comandado pelo quarto treinador diferente no Palmeiras, e, assim como ocorreu com Eduardo Baptista, Cuca e Alberto Valentim, Roger Machado quer que o colombiano participe mais das ações defensivas da equipe. ?O que eu vejo do Borja e peço bastante é [?]

09:15 | 18/01/2018

O técnico é novo, mas o pedido é antigo. Em 2018, Miguel Borja será comandado pelo quarto treinador diferente no Palmeiras, e, assim como ocorreu com Eduardo Baptista, Cuca e Alberto Valentim, Roger Machado quer que o colombiano participe mais das ações defensivas da equipe.

?O que eu vejo do Borja e peço bastante é que ele participe mais das ações ofensivas e dos momentos defensivos. A favor do Borja, é um jogador que busca muito pequenas diagonais curtas e vai se beneficiar muito da maneira que a gente joga, de jogadores como o Lucas Lima?, afirmou o comandante.

Miguel Borja chegou ao Palmeiras no início de 2017 sob o rótulo de contratação mais cara da história do clube (R$ 35 milhões). O colombiano foi recebido por centenas de torcedores no aeroporto, mas não conseguiu corresponder à altura em campo. Foram 43 jogos, sendo 22 como titular, e dez gols marcados.

?Tenho conversado muito com Borja. Ele me disse que ano passado foi de adaptação. A gente sabe que é difícil, até pela língua, que é semelhante, mas não é igual. Esse ano, com uma boa pré-temporada, acredito que ele possa ter um ótimo desempenho?, completou Roger, que, no entanto, não garantiu a titularidade de seu camisa 9. ?Mas nada impede que, dentro das características, eu opte por um jogador mais móvel em outro momento.?

Quem mais pediu a Borja coisas que ele não fazia na Colômbia foi Cuca, com quem o jogador chegou a perder a posição para Deyverson ? um atacante que se sente mais à vontade brigando por bolas longas no pivô e iniciando a marcação pressão, dois pilares do estilo do treinador. Já com Alberto Valentim, o Palmeiras passou a jogar com passes mais curtos e criar mais chances para seu camisa 9, que viveu alguns de seus melhores momentos na reta final do ano.

Com Borja entre os titulares, o Palmeiras estreia no Campeonato Paulista nesta quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), contra o Santo André, no Palestra Itália.

Gazeta Esportiva

TAGS