PUBLICIDADE
Esportes

Palmeiras processa WTorre para receber quase R$ 14 milhões

A relação entre Palmeiras e WTorre sofreu um novo percalço. Além de processos de arbitragem para análise do contrato, em que a empresa contesta o número de cadeiras a que tem direto, o Verdão agora cobra cerca de R$ 14 milhões da construtora. A informação é do Esporte Interativo. O valor requerido pelo Alviverde corresponde [?]

22:30 | 20/12/2017

A relação entre Palmeiras e WTorre sofreu um novo percalço. Além de processos de arbitragem para análise do contrato, em que a empresa contesta o número de cadeiras a que tem direto, o Verdão agora cobra cerca de R$ 14 milhões da construtora. A informação é do Esporte Interativo.

O valor requerido pelo Alviverde corresponde a percentuais que o clube julga ter direito por contrato, como aluguéis para shows, vendas de cadeiras e produtos na arena, além das multas previstas em contrato de quando o Verdão precisa atuar fora do Palestra Itália. A quantia foi estipulada a partir das notas apresentadas pela construtora ao clube em demonstrativos financeiros.

Há ainda uma discussão sobre a cobrança da construtora de valores de manutenção ao clube. A WTorre ainda não foi notificada judicialmente e o fato deverá ocorrer apenas em janeiro, quando a empresa também deve se manifestar sobre o assunto.

O relacionamento entre Palmeiras e WTorre sempre foi marcado por disputas jurídicas, polêmicas e ameaças de ambas as partes. Sob a gestão de Paulo Nobre, encerrada no início do ano, a relação ficou ainda complicada por conta da discussão de propriedade das cadeiras do Palestra Itália, as que a empresa julga ter o direito de comercialização em sua totalidade, enquanto o clube acredita que esse poder equivale a apenas parte dos lugares.

Gazeta Esportiva

TAGS