PUBLICIDADE
Esportes

Zé Roberto se despede do futebol, Palmeiras vence Botafogo e vira vice

A partida desta segunda-feira valia a vice-liderança para o Palmeiras, conquistada com um triunfo de 2 a 0 sobre o Botafogo, com gols de Dudu e Keno, mas a grande atração do confronto ficou por conta de Zé Roberto. Aos 43 anos, o veterano atuou como lateral-esquerdo e fez sua última partida como atleta profissional. Antes de [?]

21:00 | 27/11/2017

A partida desta segunda-feira valia a vice-liderança para o Palmeiras, conquistada com um triunfo de 2 a 0 sobre o Botafogo, com gols de Dudu e Keno, mas a grande atração do confronto ficou por conta de Zé Roberto. Aos 43 anos, o veterano atuou como lateral-esquerdo e fez sua última partida como atleta profissional.

Antes de a bola rolar, o ex-jogador da Seleção Brasileira recebeu uma placa, uma camisa enquadrada e diversas homenagens dos 23.562 pagantes, que cantaram que ?Zé Roberto é animal?, em diversos momentos da partida. Na condecoração, entregue pelo presidente Mauricio Galiotte, o clube agradeceu pela ?enorme contribuição em resgatar o orgulho do torcedor palmeirense?. José Roberto da Silva Júnior marcou um total de 10 gols em 132 partidas com a camisa da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Outra atração fora das quatro linhas foi a presença dos pais de Neymar e Lucas Lima na Arena. Ambos tiveram reunião com o Alviverde nesta segunda-feira, na Academia de Futebol, para acertar detalhes da transferência do meia santista ? agenciado por Neymar pai ? para o Verdão. Roger Machado, treinador da equipe para 2018, também acompanhou o confronto.

Em campo, O Palmeiras iniciou a partida mostrando sérias dificuldades para furar o bloqueio defensivo do Botafogo. Ao Alvinegro, armado no 4-2-3-1, faltou velocidade para explorar o espaço deixado por Moisés e Tchê Tchê, que subiam ao ataque e demoravam na recomposição, deixando Felipe Melo sozinho na marcação com a linha defensiva alviverde.

Taticamente, o Verdão apresentou inovações. A linha de zagueiros alta, criticada nos últimos jogos, foi recuada, e Dudu, que vinha atuando centralizado e produzindo pouco, voltou ao lado esquerdo, onde atua melhor.

Os erros de passe, que causaram dois gols na derrota contra o Avaí, porém, continuaram acontecendo. Principal articulador palmeirense, Moisés esteve irreconhecível na primeira etapa e ouviu reclamações de parte da torcida presente no Palestra Itália. Pela falta de criação, Borja pouco apareceu no jogo, e coube a Dudu e Keno buscar jogadas individuais a todo momento.

Dudu e Keno jogam ainda melhor na segunda etapa e homenageiam Zé com festa

Para a segunda etapa, o Botafogo passou a atuar no 4-4-2, com Guilherme e Valencia formando a dupla de ataque. Do lado alviverde, o esquema tático se manteve, assim como os erros ofensivos.

No entanto, se Keno e Dudu tiveram boa atuação em jogadas individuais no primeiro tempo, quando a dupla atuou junta, o nível da apresentação subiu ainda mais. Primeiro, o camisa 7, de trás do meio-campo, deu lançamento espetacular para o companheiro, que foi atrapalhado pela marcação na hora da finalização. Depois, o 27 retribuiu o passe, Borja não alcançou, e o capitão surgiu na segunda trave para completar para as redes. Na comemoração, todo o grupo abraçou o quase aposentado Zé Roberto.

Keno, porém, achou que a homenagem ao Animal ainda era pouca e completou a festa com uma pintura. O atacante recebeu virada de jogo de Felipe Melo na direita, matou no peito, pedalou para cima de Gilson, cortou João Paulo e bateu de pé esquerdo no ângulo de Gatito Fernández. Após o golaço, o camisa 28 apontou para Zé Roberto, e festejou novamente com o veterano.

Com o placar ainda mais adverso, Jair Ventura sacou João Paulo e Guilherme para as entradas de Marcos Vinícius e Vinícius Tanque. Já Alberto Valentim trocou Moisés e Felipe Melo por Willian e Thiago Santos. O Pitbull, inclusive, após nova boa atuação, foi o único a ter o nome gritado pela torcida, além de Zé Roberto.

Assim, Dudu passou a ser o meia centralizado do Palmeiras e Willian ocupou sua vaga na esquerda. No Botafogo, a equipe alvinegra teve três atacantes, o que até melhorou o desempenho do Glorioso, mas não o suficiente para balançar as redes. Por fim, já aos 39 minutos, Dudu saiu de campo sob fortes aplausos da torcida para a entrada de Hyoran, que atuou durante seus primeiros minutos sob o comando de Alberto Valentim.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 0 BOTAFOGO

Data: 27 de novembro de 2017, segunda-feira

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo

Horário: 20 horas (de Brasília)

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha

Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa) e Cristhian Passos Sorence

Público: 23.562 presentes

Renda: R$ 1.230.114,47

Cartões amarelos: Felipe Melo, Edu Dracena e Moisés (PALMEIRAS); Bruno Silva, Gilson, Rodrigo Lindoso, Rodrigo Pimpão e João Paulo (BOTAFOGO)

GOL:

PAMEIRAS: Dudu, aos nove, e Keno, aos 17 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Yerry Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo (Thiago Santos), Tchê Tchê e Moisés (Willian); Keno, Dudu (Hyoran) e Borja

Técnico: Alberto Valentim

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso (Ezequiel), Bruno Silva, João Paulo (Marcos Vinícius) e Leonardo Valencia; Rodrigo Pimpão e Guilherme (Vinicius Tanque)

Técnico: Jair Ventura

Gazeta Esportiva

TAGS