PUBLICIDADE
Esportes

Gilvan explica saída de Diogo e admite negociação por Egídio

O Cruzeiro acertou a venda do lateral-esquerdo Diogo Barbosa ao Palmeiras, mas já está próximo de definir seu substituto. Em pronunciamento nesta quarta-feira, o presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares ? com mandato até o final deste ano -, explicou a transação do camisa 6 e admitiu negociação pelo ala Egídio, do próprio clube [?]

22:30 | 15/11/2017

O Cruzeiro acertou a venda do lateral-esquerdo Diogo Barbosa ao Palmeiras, mas já está próximo de definir seu substituto. Em pronunciamento nesta quarta-feira, o presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares ? com mandato até o final deste ano -, explicou a transação do camisa 6 e admitiu negociação pelo ala Egídio, do próprio clube paulista.

?Vim falar da negociação pelo Diogo Barbosa para que vocês saibam como foi a transação. O jogador foi emprestado para o Cruzeiro em novembro de 2016, com uma cláusula que permitia ao clube adquirir 25% dos direitos econômicos do atleta por 700 mil euros, em dez prestações. Durante a vigência do contrato, nós exercermos esse direito, mas no acordo constava que os direitos federativos e os 75% restantes do atleta continuariam pertencendo ao Coimbra. Tudo isso teria duração até dezembro de 2018 e, durante esse período, o Cruzeiro teria opção de adquirir 25% dos direitos econômicos do atleta por mais 1 milhão de euros. Porém, se durante esse período chegasse uma proposta de qualquer clube, de qualquer empresário, investidor ou até do próprio atleta para a aquisição dos direitos do Diogo por um valor acima de 2,8 milhões de euros, o Cruzeiro era obrigado a cobrir a oferta ou entregar o atleta?, disse o mandatário.

Assim, o Palmeiras irá adquirir Diogo Barbosa por 4,5 milhões de euros (R$ 17,2 milhões) por 100% dos direitos econômicos do jogador. O Cruzeiro, por um quatro do ala, ficará com 1,1 milhão de euros (R$ 4,2 milhões) e o restante será embolsado pelo Coimbra.

?Nós não tivemos condições (financeiras) de segurar o atleta ? comprando mais 25% do jogador. Ainda que nós conseguíssemos os outros 25%, somando os 50%, ainda assim, o clube detentor da outra parte dos direitos econômicos e federativos (Coimbra) poderia negociar o jogador. Iriamos investir 1,8 milhões de euros, e, se eles vendessem o atleta por 2,8 milhões de euros, nós teríamos que dividir o valor com o Coimbra e não teríamos voz para impedir a negociação. Ou seja, o Cruzeiro teria nessa negociação um prejuízo?, completou.

O Palestra só confirmará a negociação após a assinatura de contrato. Antes do lateral, o Alviverde já havia acertado a contratação de Emerson Santos, zagueiro do Botafogo.

Egídio negocia

Se perderá Diogo Barbosa para 2018, o Cruzeiro poderá ter Egídio na próxima temporada. De acordo com Gilvan, o Palmeiras se mostrou disposto a ceder atletas por empréstimo à Raposa em 2018, e não irá colocar empecilhos na negociação celeste pelo camisa 6 alviverde.

?Tem possibilidade de vir. Ele (Egídio) já demonstrou interesse, o treinador do Cruzeiro tem interesse por ele, a nova diretoria está informada disso. É só firmar o contrato, e o Palmeiras falou que não colocará nenhum empecilho?, disse, antes de abordar os possíveis atletas a serem emprestados pelo Palmeiras.

Gazeta Esportiva

TAGS