PUBLICIDADE
Esportes

Carille projeta Derby de domingo: ?Mais decisivo do que nunca?

Assim que a derrota do Corinthians por 1 a 0 para a Ponte Preta foi confirmada no último domingo, em Campinas, o técnico Fábio Carille passou a focar no clássico com o Palmeiras. O Derby ganhou ainda mais importância, já que o time alviverde por assumir a liderança da competição caso vença o Cruzeiro nesta [?]

07:15 | 30/10/2017

Assim que a derrota do Corinthians por 1 a 0 para a Ponte Preta foi confirmada no último domingo, em Campinas, o técnico Fábio Carille passou a focar no clássico com o Palmeiras. O Derby ganhou ainda mais importância, já que o time alviverde por assumir a liderança da competição caso vença o Cruzeiro nesta segunda e o arquirrival no próximo dia 5, em Itaquera.

?Independentemente da situação, o clássico é fundamental. A mudança de confiança do grupo foi depois da vitória em cima do Palmeiras, quando ninguém esperava?, disse o treinador, referindo-se ao triunfo por 2 a 0 no primeiro turno, no Palestra Itália. ?Agora, com os dois brigando na parte de cima, se torna mais do que decisivo?, acrescentou.

O que possibilitou a aproximação do arquirrival foram as três derrotas nos últimos quatro jogos. A diferença que era de 14 pontos foi reduzida a seis. Para piorar, o Palmeiras vem evoluindo em termos de desempenho, após Alberto Valentim ter assumido interinamente o cargo de técnico.

?O campeonato é assim: abrimos 14, 16 pontos, porque tivemos uma sequência de vitórias. Agora os resultados não estão acontecendo, mas para o adversário estão?, avaliou Carille, refutando mudar o esquema tático a sete rodadas para o término do Brasileiro.

?Quando falo de convicções, falo de forma de jogar. Não vi nenhum clube mudar a forma de jogar, com exceção do Levir (no Santos) com dois caras abertos?, explicou o comandante, que acenou com a possibilidade da entrada de Clayson no time titular.

Fábio Carille tentará recuperar o futebol do líder a partir de terça-feira, já que o elenco folga nesta segunda. O técnico mantém o otimismo em relação ao título nacional. ?Não abro mão do trabalho de campo para deixar as coisas bem determinadas para os atletas. Agora é trabalhar. Tem que estar na frente. Existem 38 jogos. Quem for melhor, é o campeão brasileiro?, sintetizou.

Gazeta Esportiva

TAGS