Marcelo Paz prega humildade no Fortaleza e valoriza Sul-Americana: "Orgulho"

Marcelo Paz explicou que no "futebol não se ganha tudo" e valorizou a participação do time na Sul-Americana e a busca do penta no Campeonato Cearense. "Se a gente não achar bom jogar uma Sul-Americana, eu acho que a gente tem que calçar as sandálias da humildade"

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, cedeu entrevista ao programa Fora do Eixo, da Jovem Pan-SP, nessa segunda, 3, nas vésperas da estreia da equipe cearense na Sul-Americana. Questionado sobre o atual momento do Tricolor do Pici na temporada 2023 com as eliminações na Libertadores e na Copa do Nordeste, esta para o Ceará, o dirigente explicou que no “futebol não se ganha tudo” e valorizou a participação do time na Sula e a busca do penta no Campeonato Cearense.

“Como você bem falou, há pouco tempo o Fortaleza jogou a Série C. Se a gente não achar bom jogar uma Sul-Americana, eu acho que a gente tem que calçar as sandálias da humildade. É bom jogar a Sul-Americana e no Campeonato Estadual estamos em busca do pentacampeonato. Vencemos o primeiro jogo da final e vamos buscar o pentacampeonato. Eu entendo que futebol não se ganha tudo, às vezes se cresce a expectativa, se acha que vai ganhar e não vai, ninguém vai”, disse o mandatário tricolor.

“É claro que a gente queria ganhar, queríamos ter ido para a fase de grupos da Libertadores, queríamos ter ganho a semifinal da Copa do Nordeste. Mas tem que ter consciência que nem sempre vai acontecer e seguir o trabalho com norte, com o caminho que foi traçado, que foi montado para conquistar outros objetivos”, acrescentou Marcelo Paz.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Paz destacou ainda o aprendizado na temporada passada, quando o Fortaleza ficou na zona de rebaixamento do Brasileirão por vinte rodadas. O presidente ressaltou que nesta temporada foi formado um elenco mais robusto e qualificado para competir nas várias competições que o Tricolor disputará em 2023.

“O elenco deste ano, ele tem mais peças que o do ano passado. Também tem mais qualidade que no ano passado. Então, quando tiver esse afunilamento, que vai ter já, já, quando tiver Copa do Brasil, Sul-Americana e Série A, acredito eu que teremos mais forças para disputar as três competições e conseguir performar melhor nas três”, contou o presidente do Fortaleza.

Com estreia na Sul-Americana marcada para esta quarta-feira, 5, e na briga pelo penta no Estadual, o Fortaleza ainda disputará em 2023 a Copa do Brasil e a Série A. O dirigente aproveitou para reforçar a importância do Campeonato Brasileiro, principal prioridade do clube.

“Estar na Série A garante a melhor cota possível e a possibilidade de jogar competições internacionais. A meta principal tem que ser se manter nessa divisão, é o que vai dar sustentabilidade, fôlego, musculatura, dinheiro e manter toda uma estrutura de atletas, de espaço, de investimento na base, de tudo”, explicou ele.

“E o Fortaleza bateu recorde, né? São 5 anos na Série A, esse é o máximo do futebol nordestino, o máximo que o futebol nordestino conseguiu ficar na Série A foi 5 anos. Nós estamos agora no nosso quinto ano, vamos tentar quebrar esse recorde indo pro sexto. Faz toda a diferença permanecer na Série A, por isso tem que ter um foco muito importante nessa competição”, completou.

Estreia na Sula

Após superar o Ceará no primeiro jogo da final do Campeonato Cearense, o Fortaleza se prepara para outra competição: a Copa Sul-Americana. O Tricolor do Pici fará sua estreia na Sula contra o Paletino-CHI nesta quarta-feira, 5. Os atletas do Leão se reapresentaram na última segunda, 3, e deram início a preparação para a estreia. O último treino antes da partida acontecerá nesta terça, 4.

O zagueiro Bernardo Schappo e o meia Vinícius Zanocelo, recém-chegados no Pici, já estão inscritos na competição. O atacante Sílvio Romero e o lateral-esquerdo Lucas Esteves estão em fase de transição após se recuperarem de lesões na coxa. A dupla pode estar à disposição de Vojvoda para o próximo confronto.

O torneio pode render uma boa quantia aos cofres do Tricolor do Pici. Para cada vitória na fase de grupos da Sula, o Fortaleza receberá 100 mil dólares, aproximadamente R$ 520 mil. A premiação teve um aumento de 30% em relação à temporada passada.

Por Giovana Feitosa/Especial para O POVO

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

FORTALEZA ESPORTE CLUBE MARCELO PAZ PRESIDENTE DO FORTALEZA SUL-AMERICANA FORTALEZA

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar