PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

Após entraves e recusas em lista extensa, Fortaleza adia busca por centroavante

Leão do Pici consultou mais de 20 nomes para a posição, mas esbarrou em multas contratuais e salários elevados e deve retomar procura para a Série A

16:38 | 15/04/2021
Presidente Marcelo Paz manteve contato com clubes e atletas, mas não conseguiu desfecho positivo (Foto: Aurélio Alves/O POVO)
Presidente Marcelo Paz manteve contato com clubes e atletas, mas não conseguiu desfecho positivo (Foto: Aurélio Alves/O POVO)

Depois de classificar a busca por um centroavante no mercado da bola como prioritária e urgente, o Fortaleza postergou a investida para o Campeonato Brasileiro. O Esportes O POVO apurou que o clube do Pici sondou mais de 20 nomes para a vaga, mas esbarrou em altos valores de multas rescisórias e salários e não conseguirá o desejado reforço para a reta final da Copa do Nordeste.

Diante da missão de reformular o elenco após a Série A de 2020, o departamento de futebol do Leão colocou a contratação de um centroavante como alvo. Os contatos foram iniciados, mas as cifras desejadas por clubes e estafe de atletas afastaram as chances de êxito nas conversas - que, na maioria dos casos, nem avançaram para negociações.

O Tricolor priorizou nomes do mercado nacional, mas ampliou o radar também para o exterior - na reta final, as buscas se concentraram na América do Sul. O atacante Léo Ceará, que se destacou no Vitória-BA e recebeu proposta do Ceará, foi sondado, mas preferiu a oferta do Yokohama Marinos, do Japão - clube que tentou levar Romarinho.

LEIA MAIS

+ Gustavo Blanco mira novas chances no Fortaleza e prevê "grande jogo" diante do CSA
+ Fortaleza chega ao 3º ano seguido no mata-mata da Copa do Nordeste com apenas uma derrota em retrospecto
+ Fortaleza agiliza trâmites burocráticos para inscrever Titi na Copa do Nordeste

Atuando no futebol asiático, Leandro Pereira e Gustagol também foram consultados, mas não têm planos de retornar ao futebol brasileiro no momento. Artilheiro do Liverpool de Montevidéu, do Uruguai, Ignacio Ramírez também foi lembrado, mas clube exige 5 milhões de dólares (R$ 28 milhões na cotação atual) para vender 50% dos direitos econômicos do atacante de 24 anos.

No Brasil, o Fortaleza mapeou opções que poderiam ter uma negociação facilitada, mas sem sucesso. O argentino Germán Cano, do Vasco da Gama-RJ, entrou na mira após o rebaixamento do clube carioca para a Série B e em razão de uma dívida existente, mas selou acordo e definiu a permanência. O jovem Rodrigo Muniz não será liberado para empréstimo pelo Flamengo-RJ, assim como o Grêmio-RS conta com Diego Churín.

Sem espaço no elenco e em fim de contrato com o São Paulo, o uruguaio Gonzalo Carneiro foi consultado, mas informou que desejava deixar o futebol brasileiro. O agente do atacante de 25 anos, Pablo Betancour, é o mesmo de Abel Hernández, com quem o Tricolor manteve conversas virtuais, avançou nas tratativas e apresentou proposta, mas viu o centroavante optar pelo Fluminense-RJ.

A tentativa era reforçar o setor ofensivo dentro do prazo de inscrições para o Nordestão, que se encerra na próxima sexta-feira, 16. Atualmente, o elenco conta com Wellington Paulista e Gustavo Coutinho. O diretor de futebol Alex Santiago afirmou que a procura por um camisa 9 era prioridade, enquanto o executivo de futebol Sérgio Papellin tratou a necessidade como "urgente". Os esforços pelo nome ideal agora ficarão para o Brasileirão.

"A gente conversa muito sobre oportunidades de mercado. É muito difícil ter esse atleta à disposição. A gente tem atletas que podem fazer bem a função. Hoje (sábado), o Coutinho acabou sendo sacrificado depois da expulsão, mas a gente tem boas perspectivas, boas possiblidades. Talvez tendo um atacante mais de ofício mesmo, mais de área, e outros com outras possibilidades e características", avaliou o técnico Enderson Moreira.