PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Chamusca critica atuação do Fortaleza após revés no Clássico-Rei

Tricolor do Pici foi derrotado no último Clássico-Rei do ano por 2 a 0. Gols do Ceará foram marcados por Lima e Cléber

Iara Costa
00:11 | 21/12/2020
Fortaleza - Ce, Brasil, 02-12-2020: Chamusca, técnico do Fortaleza. Fortaleza. 0 x 0 Corinthians, Campeonato Brasileiro da Série A - Estádio Castelão. (Foto: Júlio Caesar/ O Povo) (Foto: Julio Caesar)
Fortaleza - Ce, Brasil, 02-12-2020: Chamusca, técnico do Fortaleza. Fortaleza. 0 x 0 Corinthians, Campeonato Brasileiro da Série A - Estádio Castelão. (Foto: Júlio Caesar/ O Povo) (Foto: Julio Caesar)

Além do zagueiro Paulão, quem também criticou a atuação do Fortaleza na derrota por 2 a 0 contra o Ceará foi o técnico Marcelo Chamusca. Em coletiva cedida após o duelo, o comandante do Leão reconheceu as falhas do Tricolor na partida e pontuou que o adversário soube neutralizar seu time.

"Faltou muita coisa, principalmente no primeiro tempo. Fomos falhos, tivemos pouco controle do jogo, poucas oportunidades e fomos bem passivos no aspecto defensivo. A gente já sabia que o adversário tinha um jogo forte em contra-ataque, mas a gente tava treinado para ter uma marcação mais efetiva. Também houve pouca construção. O time circulando a bola com lentidão, aproveitando pouco o espaço que, às vezes, o Ceará dava. O adversário conseguiu neutralizar bem e foi superior", falou Chamusca.

 

O técnico do Fortaleza assumiu que uma das principais falhas do Leão na partida foi a falta de criação. "Tanto João Paulo quanto Mariano, concordo que hoje faltou a capacidade de criação, mas no jogo do Bragantino tivemos uma série de oportunidade, finalizamos mais que o adversário. No jogo de hoje isso faltou. A minha intenção é, gradativamente dar um tempo maior (ao João Paulo)". disse.

Chamusca admitiu que, durante as semanas de treinamento, vem preparando a equipe para eventuais mudanças táticas que possam dar maior poder de criação ao grupo. "A gente vem, desde que cheguei, treinando uma situação alternativa, com jogadores que possam exercer bem a função (de criação). Podemos mudar, é uma possibilidade real, mas depende da semana, do adversário".

Com 28% de aproveitamento, o treinador criticou o percentual, mas indicou que não deve fazer loucuras para obter melhores resultados. "Estou insatisfeito com esse percentual baixo (de aproveitamento). Tenho procurado dar o meu máximo para melhorar. Hoje as coisas não aconteceram, principalmente no primeiro tempo, mas só tenho uma forma de melhorar: a partir de amanhã, já começar a focar no próximo jogo, trabalhar a parte emocional. É ter tranquilidade para saber assimilar. A gente tem uma série de jogos pela frente. Não podemos fazer terra arrasada e sair mudando tudo, pois não é o momento de fazer mudanças", contou.