PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

Conselho Deliberativo do Fortaleza anunciará punição contra dirigente em caso de homofobia

Mesa diretora do órgão divulgará penalidade por postagem do presidente do Conselho de Ética e Disciplina em reunião na próxima terça-feira

16:30 | 15/10/2020
Fachada da sede do Fortaleza, no Pici (Foto: Alex Gomes/O POVO.doc)
Fachada da sede do Fortaleza, no Pici (Foto: Alex Gomes/O POVO.doc)

Após quatro meses, o Conselho Deliberativo do Fortaleza divulgará aplicação de pena ao presidente do Conselho de Ética e Disciplina do clube, Advíncula Nobre, por postagens homofóbicas em rede social. A decisão do órgão será anunciada em reunião virtual extraordinária na próxima terça-feira, 20, apurou o Esportes O POVO.

No edital de convocação do encontro, a primeira pauta é "atender o que dispõe o artigo 32 do Estatuto do Fortaleza Esporte Clube", que diz que "a aplicação das penalidades é da competência da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo, cabendo recurso de suas decisões ao Pleno". A mesa é composta por cinco membros: presidente, dois vices e dois secretários.

No dia 2 de junho, Advíncula Nobre usou o perfil no Facebook para postar uma foto no qual aparece o apresentador Cartolouco dando um selinho em outro homem, com a seguinte frase: "Essa é a esquerda! Quem quiser seja homossexual, mas não publicamente. Isto é um atentado violento ao pudor".

Horas depois, diante da repercussão negativa da postagem nas redes sociais, Advíncula se retratou: "Como não era minha intenção ofender a quem quer que seja apaguei a postagem, que não foi muito feliz e peço desculpas a quem porventura se sentiu ofendido!"

Um grupo de mais de 300 associados do Tricolor se uniu e apresentou, após dois dias, requerimento de destituição do mandatário do Conselho de Ética. No dia 5, o presidente do Conselho Deliberativo, Demetrius Coelho, instaurou processo disciplinar para apurar o caso e determinou prazo de 30 dias para conclusão.

Diante da situação da pandemia de covid-19 no Estado, as reuniões do Conselho passaram a ser realizadas em plataformas virtuais, e a mesa diretoria decidiu levar o tema para debate apenas em encontro presencial. Pelo decorrer do tempo do caso, porém, mudou de ideia.

No dia 22 de setembro, Advíncula Nobre, que se afastou do cargo por problemas de saúde, enviou defesa aos Conselhos Deliberativo e de Ética e Disciplina. O dirigente relata a trajetória como torcedor, destaca os serviços prestados ao clube e enumera argumentos em causa própria.

Nobre assegura que "a postagem em questão foi publicada acidentalmente", aponta que escreve há mais de duas décadas sobre o Fortaleza e "em todas todas essas edições ninguém encontrará qualquer manifestação minha contra o homossexualismo ou contra qualquer outra “orientação sexual”", afirma que os membros do clube "jamais viram ou ouvira qualquer manifestação minha de cunho homofóbico ou preconceituoso, assim como qualquer desrespeito a quem quer que seja" e que deseja um "julgamento justo, com pena compatível com a falta que, por ventura, eu tenha cometido".