PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Paulão cita suposta falta não marcada para o Fortaleza e reclama da arbitragem do Clássico-Rei

Fortaleza perdeu o Clássico-Rei, válido pela sétima rodada da Série A, por 1 a 0

Domitila Andrade
22:10 | 02/09/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26.08.2020: Ceara x Fortaleza, na Arena Castelão pelo Campeonato Brasileiro. em época de COVID-19.  (Foto: Aurelio Alves/ O POVO). (Foto: Aurelio Alves/ O POVOS)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26.08.2020: Ceara x Fortaleza, na Arena Castelão pelo Campeonato Brasileiro. em época de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO). (Foto: Aurelio Alves/ O POVOS)

A jogada pela direita que terminou com o gol do Ceará marcado por Vina começou com uma disputa de bola entre Cléber e Paulão. Com a bola, o atacante do Alvinegro é cercado pelo zagueiro do Tricolor. Cléber cai e Paulão, atingido na boca, também vai ao chão. A bola sobra para Fernando Sobral que toca para Charles cruzar já na linha de fundo; ao que Vina marca de primeira. O tento deu a vitória ao Vovô e o lance anterior foi alvo de críticas de Paulão.

Mostrando o lábio aparentemente cortado, e entrevista ao Esporte Interativo, ao fim da partida, o camisa 25 do Tricolor do Pici reclama que sofreu uma cotovelada e que a jogada deveria ter sido paralisada. "Eu fui falar com o bandeirinha e ele falou que é contato de jogo. Se isso daqui é contato de jogo, imagina o que se pode fazer com os adversário então", reclamou.

Também após a partida, dessa vez em entrevista ao canal Premiere, Paulão voltou a falar do lance. "Nesse jogo tão importante o árbitro (Luiz Flávio de Oliveira, Fifa-SP) acaba não marcando um lance de jogo que ele viu, ele disse que viu, e deixou pro VAR (César Magalhães-CE) e o VAR disse que não foi falta. Mas se quebra a boca, se tem um contato e corte é falta", opinou.

Leia mais | Fortaleza solicita, mas CBF ignora pedido por troca de árbitro no Clássico-Rei

Luiz Otávio, zagueiro do Ceará, também comentou o lance. "Na verdade ali, pelo que o Cléber falou comigo, ele (Paulão) fez a falta primeiro, por isso que houve a lei da vantagem e por isso que o gol não fi anulado. Se realmente tivesse sido falta, o VAR teria visto e o professor também teria anulado o gol. É lance normal", detalhou.